Página 2 de 21

B-HCG quantitativo: o exame que detecta e monitora a gravidez

Quando ocorre um atraso menstrual, a mulher logo suspeita de uma possível gravidez. Nesta situação, existe um exame chamado de B-HCG ou gonadotrofina coriônica. O BHCG é o “exame espião”, que conta que a mulher está grávida!

Normalmente, 10 a 15 dias após a fecundação já se consegue detectar o B-HCG no sangue materno, período que equivale à aproximadamente a data que a mulher iria menstruar, caso não estivesse grávida. Em alguns casos, a produção do B-HCG é pequena e não consegue ser detectada pelos exames comuns, como o teste comprado em farmácia, que indica somente a presença ou ausência do hormônio, sem indicar sua quantidade na amostra. Nesse momento, o teste quantitativo – feito em laboratório – e mais sensível, já consegue detectar pequenas quantidades de hormônio.

O  B-HCG tem uma função muito importante durante a gravidez: ele ajuda a monitorar a evolução inicial da gestação, sendo muito importante para prever abortos espontâneos e até detectar gravidez ectópica, que ocorre fora do útero, normalmente nas trompas. A função do B-HCG é manter alto o nível de progesterona na mamãe. É a progesterona que é a responsável final  pela fixação do bebê na placenta. Normalmente, os níveis de progesterona aumentam após a ovulação e mantêm-se altos caso exista uma gravidez, para que o endométrio uterino continue espesso e se desenvolvendo, evitando que ocorra um aborto espontâneo. No entanto, caso não exista gravidez, os ovários deixam de produzir progesterona e, por isso, o endométrio uterino é destruído e eliminado naturalmente através da menstruação. 

Por isso, a importância da realização de dosagens seriadas e quantitativas do hormônio B-HCG nos meses iniciais da gestação. É uma forma simples de acompanhar a evolução da gestação, se está ocorrendo como deveria ou se há perigo de um aborto espontâneo ou de uma gravidez ectópica – fora do útero, nas trompas, por exemplo.  No Gerardo Trindade, este exame é liberado em até duas horas!

Por volta da 10ª semana de gestação, os níveis de B-HCG vão diminuindo naturalmente. Acompanhe os valores de referência esperados para as mulheres grávidas por tempo de gestação (semanas desde o LPM*):

03 semanas: 5,0 a 50,0 mUI/mL

04 semanas: 5,0 a 426,0 mUI/mL

05 semanas: 18,0 a 7.340,0 mUI/mL

06 semanas: 158,0 a 31.795,0 mUI/mL

07 a 08 semanas: 7.650,0 a 229.000,0 mUI/mL

09 a 12 semanas: 63.803,0 a 151.410,0 mUI/mL

13 a 16 semanas: 13.300,0 a 254.000,0 mUI/mL

17 a 24 semanas: 4.060,0 a 165.400,0 mUI/mL

 25 a 40 semanas: 3.640,0 a 117.000,0 mUI/mL

 * LPM: data do último período menstrual, contada a partir do seu primeiro dia.

Um gráfico que mostra os níveis de hCG durante a gravidez com as semanas de gestação no eixo xe os níveis de hCG no eixo y.

Agora que você entendeu a importância da dosagem seriada do B-HCG para monitorar a evolução de sua gravidez, conte com o Laboratório Gerardo Trindade para acompanhar sua gravidez!

Férias também é tempo para o check-up das crianças

Acordar mais tarde, passar mais tempo com a família, brincar por horas a fio: tudo isso faz parte das férias da criançada. No entanto, as férias não são só diversão. O período também é ideal para cuidar da saúde e fazer o check-up anual dos pequenos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, a recomendação é que os bebês tenham três consultas mensais com 5 a 30 dias de vida; uma consulta entre dois e seis meses e uma consulta a cada dois meses, a partir dos sete meses. Neste período, em especial, o médico irá verificar a necessidade de realizar exames que o ajudarão a diagnosticar doenças que podem interferir no crescimento do bebê. Para crianças com dois anos ou mais, o recomendado é uma consulta pediátrica a cada três meses e uma a cada seis meses a partir dos 6 anos. Entre 7 e 18 anos, uma consulta anual é o suficiente.

É importante ressaltar que com um ano de idade os pequenos já devem fazer a primeira coleta de sangue, para checar indícios de anemia e estoque de ferro. Caso necessário, também podem ser solicitados testes de urina e fezes. Esses exames devem ser repetidos aos 2 e aos 5 anos. Entretanto, nas famílias com antecedentes de diabetes e doenças cardiovasculares, como infarto, acidente vascular cerebral (AVC) e hipertensão arterial, a periodicidade e o tipo de exame podem ser alterados. A partir dos 10 anos, e independentemente de a criança ser ou não obesa, além do hemograma tradicional, é acrescido à lista o perfil lipídico, para avaliar o metabolismo das gorduras no sangue, colesterol e triglicérides.

Confira a listagem com os exames mais importantes nos primeiros anos de vida e na infância:

TESTE DO PEZINHO

Também conhecido como triagem neonatal, o teste do pezinho leva esse nome por ser realizado a partir de gotas de sangue coletadas do calcanhar do bebê. O exame deve ser realizado entre o 2º e o 5º dia de vida do recém-nascido. Na versão ampliada do teste, é possível detectar a presença de mais de 40 doenças. Quanto mais cedo o diagnóstico de alguma doença é feito, melhores são as chances de intervenções e tratamentos precoces para que o bebê se desenvolva bem. Aqui no Gerardo Trindade você pode realizar este exame com toda segurança, qualidade e conforto!

TIPAGEM SANGUÍNEA

A tipagem sanguínea identifica se o fator Rh do recém-nascido é positivo ou negativo, bem como se o seu tipo de sangue é A, B, AB ou O. Muitas escolas pedem a tipagem sanguínea quando a criança é matriculada na escola.

URINA ROTINA – EAS

Um dos testes mais comuns solicitado pelos pediatras é o exame de urina. Através dele, é possível identificar a presença de bactérias, infecções e também quantificar se há perda de elementos importantes pela urina, como proteína ou glicose.

EXAME PARASITOLÓGICO E PESQUISA DE SANGUE OCULTO NAS FEZES

A análise de fezes permite a identificação de parasitas, que podem levar à desnutrição e até retardo no crescimento da criança. A presença de sangue oculto pode indicar microlesões no intestino, que passam despercebidas a olho nu.

HEMOGRAMA

Um dos exames de rotina mais comuns para avaliar o estado geral de saúde da criança. É através dele que é possível identificar patologias comuns entre as os pequenos, como infecções e anemias. 

GLICEMIA DE JEJUM E HEMOGLOBINA GLICADA

São fundamentais para identificar e combater a diabetes nos pequenos, especialmente se há casos da doença na família e para crianças que nasceram muito grandes ou que são filhos de mãe com sobrepeso

PERFIL LIPÍDICO

Avalia o metabolismo de gorduras, como o colesterol e frações, bem como o triglicérides. Importante para prevenir problemas cardíacos, e até um AVC, no futuro adulto.

UREIA E CREATININA

Avaliam, juntamente com o exame de urina rotina, a saúde dos rins. Alterações detectadas logo no início, favorecem o tratamento precoce e agravamento do quadro clínico.

TGO, TGP e GGT

Avaliam a função hepática. São enzimas que são liberadas em maior quantidade quando há algum dano ao fígado. Se aumentadas, é indicado exames complementares como anticorpos para hepatites A, B e C, além de ultrassom. 

Além do check-up anual é importantíssimo manter a vacinação dos pequenos em dia. Consulte sempre a caderneta de vacinação dos seus filhos!

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da saúde da criançada!

Verão, vitamina D e sol

Você costuma aproveitar o verão para colocar os níveis de vitamina D em dia? Ela é um nutriente essencial para a manutenção da saúde dos ossos e a regulação do crescimento e do sistema imunológico e cardiovascular. Além disso,  ela também auxilia no metabolismo e apresenta diversos outros benefícios à saúde.

A deficiência da vitamina D pode ser notada através de alguns sintomas, mas nem sempre os sinais aparecem. Quando surgem, geralmente há a sensação de fadiga e cansaço constante. Além disso, em relação à imunidade, as pessoas ficam mais propensas a doenças e infecções, já que a vitamina atua no fortalecimento do sistema imune. Além disso, tem também a queda de cabelo e a questão óssea, associadas à retenção do cálcio.

Através da alimentação,  a vitamina D pode ser obtida a partir da carne, peixes, ovos e laticínios, mas, para alcançar a quantidade diária suficiente, seria necessário ingerir alta quantidade deles. Por isso, a melhor maneira de manter os níveis da vitamina em dia é se expor ao sol diariamente, sem protetor solar, por 15 minutinhos. Para pessoas de pele morena ou negra, o ideal é que seja de 30 minutos a uma hora, para facilitar o processo de produção da vitamina. De preferência, antes das 10h ou depois das 16h.

Vale lembrar que níveis inadequados de vitamina D estão relacionados ao risco de desenvolver inúmeras doenças como psoríase, diabetes tipo 1, esclerose múltipla, artrite reumatóide, tuberculose, sepse, infecção respiratória e COVID-19, dentre outras infecções crônicas e doenças autoimunes.

Em idosos, são comuns sintomas como: fraqueza muscular, dor no quadril, dificuldade para caminhar, subir escadas, se levantar ou se deitar, fraturas e quedas.

Para diagnosticar a deficiência é necessário realizar o exame 25-OH-D. Este exame constitui o melhor marcador, conseguindo avaliar a concentração de vitamina D no organismo de forma prática e rápida. A concentração ideal de vitamina D para a população em geral varia entre 20,0 a 60 ng/mL. Porém, para alguns grupos de pessoas o ideal é que a vitamina D seja superior a 30,0 ng/mL: idosos, gestantes, lactantes, diabéticos, portadores de doenças inflamatórias e autoimunes.

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Saúde, autocuidado e prioridades para 2022

Quando um novo ano está para começar nós temos a chance de aproveitar o embalo da novidade e fazer tudo diferente, passar tudo a limpo, estabelecer prioridades e planejar o que esperamos de nós mesmos e da nossa vida no futuro. Isso inclui, claro, priorizar o que pra nós é mais importante. Em qual lugar da sua lista de prioridades em 2022 consta a mudança de hábitos e o cuidado com a sua saúde?

Uma dica para começar o ano com o pé direito é não deixar pra decidir depois o que deve ser priorizado, até porque pode parecer mais fácil deixar pra fazer qualquer tipo de mudança só depois do Carnaval – que é quando muita gente diz que o ano começa. Então mão na massa na sua lista de prioridades! Confira algumas dicas:

Faça uma lista (possível) do que deseja realizar

Ao fazer isso você acaba passando para o papel o que tinha apenas em mente e pode, finalmente, começar a colocar em ação suas prioridades. Mas atenção, essa lista precisa ser possível. Do contrário, você pode acabar desanimando e desistindo de correr atrás dos seus objetivos por serem difíceis demais. Por exemplo, se você quer perder peso no próximo ano, priorize na lista: “reeducação alimentar” em vez de “dieta.” Dessa forma, você sabe que precisa modificar seus hábitos aos poucos e não restringir sua alimentação a um grupo de alimentos A ou B, fazendo a dieta da moda. 

Tenha em mente que a saúde começa pela boca

Ao começar uma reeducação alimentar você vai acabar evitando uma série de alimentos por vontade própria, como frituras, açúcares, alimentos industrializados, álcool, entre outros. – Frituras;

Crie oportunidades de ser mais saudável diariamente

Uma amigo fez um convite para dar uma corrida no fim do dia? Aceite! Mesmo sabendo o quanto a atividade física é importante para a saúde e longevidade, muita gente opta por viver uma vida sedentária. Por isso, para evitar a desculpa da falta de tempo ou do cansaço, a dica  é organizar a sua agenda, chamar os amigos e tornar esse momento uma verdadeira diversão. 

Cuide da sua saúde mental 

O esforço de arrumar um tempo a mais para descansar e curtir a sua família deve ser uma prioridade. Afinal, a decisão de não sucumbir ao estresse, viver mais (e melhor) é só sua. Lembre-se de desacelerar e curtir o momento presente, sua saúde mental agradece!

Faça seu check-up 

Logo no início do ano, vá ao médico e faça os seus exames de rotina. Assim, você pode começar o ano com a sua saúde em dia, além de bem informado sobre as mudanças que precisam ser feitas para melhorar o seu estilo de vida.

Conte com o Gerardo Trindade!

Saúde no verão: dicas e cuidados durante a estação

O que você mais gosta de fazer na estação mais quente do ano? Verão é sinônimo de sol, praia, piscina e atividades ao livre, mas é importante tomar alguns cuidados com a saúde!

Vai passar muitas horas exposto ao calor? Hidrate-se! O corpo começa a gastar líquido na transpiração para equilibrar a temperatura. Além disso, a desidratação causa um prejuízo no sistema imunológico, aumentando as chances de ocorrência de outras doenças.

O calor do verão também aumenta a proliferação de bactérias em superfícies. Um bom exemplo disso são as comidas de rua, especialmente de self-service, que costumam ficar expostas durante a maior parte do dia. Combinado com uma queda de imunidade, isso aumenta consideravelmente as chances de sofrer uma intoxicação alimentar.

Os cuidados com a pele também são essenciais, principalmente o uso de protetor solar.  Vale lembrar que mesmo em dias mais nublados ou em horários com sol menos forte, ainda é necessário usá-lo. E quanto mais intenso for o sol, maior deve ser o fator de proteção. Além disso, é importante não exagerar na exposição solar. Esse hábito pode levar à formação de outras doenças, como queimaduras e, até mesmo, câncer de pele.

O verão, além de tudo, é ideal para deixar a preguiça de lado e se exercitar! Evite os horários de pico de temperatura e priorize áreas bem ventiladas. Além disso, a natação pode ser uma prática esportiva bem-vinda para driblar o calor. 

Capriche na alimentação: coma frutas, verduras e legumes variados, pois esses alimentos auxiliam na hidratação e na reposição dos sais minerais perdidos com a transpiração. Alimentos gordurosos ou com muito sal podem aumentar a desidratação e tornar a digestão mais lenta, por isso são desaconselhados.

Outra dica  é manter a casa bem ventilada durante o dia, já que isso ajuda a propiciar uma noite de sono mais tranquila. Ar-condicionado e ventiladores podem ser uma alternativa, porém, a manutenção desses aparelhos deve estar em dia para evitar a proliferação de ácaros e bactérias. Além disso,  o ar-condicionado não deve ficar ligado a noite toda, para evitar o ressecamento do ambiente, que pode ocasionar doenças do sistema respiratório. Uma alternativa, então, é colocar uma toalha molhada ou bacia de água no ambiente onde está o aparelho, para deixar o ar mais úmido.

Tão importante quanto todos esses cuidados é manter o check-up em dia, para avaliar o estado geral de saúde. Conte com o Gerardo Trindade!

Covid-19 e variante ômicron: o que sabemos até agora

Recentemente, depois que cientistas em Botsuana e na África do Sul alertaram sobre a nova variante do SARS-CoV-2 em circulação, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a variante como uma variante de preocupação (VOC), que passou a ser denominada Ômicron.

Com o anúncio da nova cepa, surgiram dúvidas e, evidentemente, novas preocupações. Acompanhe neste post o que nós sabemos até agora sobre essa nova variante.

Primeiros sinais da nova cepa

O primeiro país a notificar a Ômicron foi a África do Sul, que emitiu um alerta à Organização Mundial da Saúde (OMS) no dia 24 de novembro. 

Os sintomas

Cansaço, dores musculares, coceira na garganta ou garganta arranhando e, em alguns casos, febre baixa e tosse seca. 

A importância do PCR no diagnóstico da Ômicron

A Ômicron é relativamente fácil de ser diferenciada da Delta em testes de PCR, pois ela tem uma mutação que causa o que é chamado na genética de “drop-out do gene S” – diferente da Delta. Isso quer dizer que uma das partes do vírus, que é identificada pelo teste PCR, não está presente nessa variante. Portanto, os testes podem ser usados como marcadores para esta variante.

Reinfecção com a nova cepa

Evidências preliminares sugerem que pode haver um risco aumentado de reinfecção com a Ômicron (ou seja, pessoas que já tiveram Covid-19 podem ser reinfectadas mais facilmente com a nova cepa), em comparação com outras variantes preocupantes. Porém, por enquanto, essas informações ainda estão sendo estudadas e a OMS deve oferecer mais detalhes em breve.

Vacinas atuais x Ômicron

A nova cepa possui uma mutação que, comprovadamente, escapa aos anticorpos monoclonais e, consequentemente, das atuais vacinas. No entanto, as principais desenvolvedoras dos imunizantes disponíveis — Pfizer-BioNTech, Oxford-AstraZeneca, Moderna e Johnson & Johnson — já iniciaram testes para avaliar a eficácia de seus imunizantes contra a variante. Resultados são esperados em cerca de duas semanas.

Países com casos da Ômicron

Além do Brasil, a nova variante já foi identificada em 39 países. Destes, dez apresentam transmissão local da variante, incluindo África do Sul, Botsuana, Austrália e Estados Unidos.

A nova variante só reforça a necessidade de manter os cuidados já tão divulgados: evitar aglomerações, manter a higiene das mãos, usar máscara e álcool 70º. A pandemia ainda não acabou, cada um precisa fazer a sua parte!

Fonte: Globo Saúde.

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

A importância do check-up no fim de ano

Para fechar o ano com chave de ouro de verdade, e curtir o merecido descanso, sem surpresas, fazer um balanço do ano é essencial! Se você tivesse que fazer um balanço da sua saúde esse ano, como ele seria: positivo ou negativo? O check-up de fim de ano é muito importante para avaliar o seu estado de saúde, além de detectar precocemente qualquer alteração antes das viagens de fim de ano.

O ideal é fazer o check-up em um dia que a sua rotina não tenha sido alterada. Caso você tenha exagerado no domingo, por exemplo, e queira fazer os exames na segunda-feira, pode ter alterações no resultado. Por isso, é recomendado manter o seu padrão de alimentação para ter resultados fiéis ao seu estado de saúde. Além disso, é muito importante ter uma boa noite de sono antes da realização dos exames. O sono interfere em todo o funcionamento do organismo, e uma noite mal dormida interfere, inclusive, nos níveis sanguíneos. O descanso também deve ocorrer após o exame, mais especificamente, o braço no qual ocorreu a coleta não deve carregar peso no restante do dia.

Vale lembrar que a sua saúde deve estar sempre em primeiro lugar! Deixar para cuidar dela  somente quando o seu corpo emite, por assim dizer, algum tipo de alerta pode ser tarde demais para o tratamento de algumas doenças. Além disso, de crianças a idosos, não há uma idade pré-definida para se começar a fazer o check-up anual. O ideal é que todos façam o acompanhamento médico uma vez por ano para que o profissional avalie o perfil de cada paciente e a necessidade de realização dos exames, considerando variantes como antecedentes familiares, sedentarismo, grupos de risco ou condições como obesidade.

Mulheres grávidas precisam ter uma atenção especial à saúde, seguindo todas as orientações do médico. A diabetes gestacional e a hipertensão arterial, por exemplo, são doenças que precisam ser acompanhadas com muito cuidado depois de diagnosticadas através dos exames. Além disso, doenças infectocontagiosas (sífilis, HIV, entre outras) precisam ser descartadas ou, se for o caso, diagnosticadas para que haja o controle sobre elas durante todo período da gestação.

No Gerardo Trindade você fica sabendo quais exames são recomendados de acordo com o seu perfil, o que facilita bastante a realização do check-up, caso você não tenha tempo para ir ao consultório médico apenas para pegar a guia dos exames. Assim, você pode realizar os exames recomendados e agendar seu retorno para mostrar o resultado com rapidez e facilidade – duas coisas muito importantes no fim de ano.  

Nesse fim de ano ganhe tempo e saúde! 

Acesse https://gerardotrindade.com.br/checkup e descubra os exames recomendados para você!

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Precisamos falar sobre o HIV e a AIDS

Desde que os primeiros casos de HIV foram noticiados, em 1982, o avanço da ciência e o acesso à informação foram fundamentais para que a doença fosse diagnosticada e acompanhada. Ainda que, até hoje, não haja cura é possível viver com qualidade de vida sendo soropositivo.

Você sabe a diferença entre o HIV e a AIDS? 

O HIV é o vírus que provoca a imunodeficiência humana. Ele ataca o sistema imunológico e deixa o organismo sem defesa contra outras infecções. O principal alvo do vírus é o linfócito T-CD4+, que é um tipo de célula de defesa produzida pela glândula timo. Essa célula é responsável por organizar e comandar a resposta do sistema imunológico, já que consegue memorizar os tipos de micro-organismos que já infectaram o corpo e, assim, pode reconhecê-los e destruí-los.

Quando infecta uma pessoa, o vírus HIV se liga a um componente da membrana que reveste o linfócito T-CD4+ e o invade para se multiplicar. Ele altera o DNA do linfócito para que crie cópias do vírus. Depois que se multiplica, rompe o linfócito destruindo-o e se liga a outros para continuar sua multiplicação. Conforme a infecção pelo HIV avança, o sistema imunológico vai enfraquecendo até não conseguir mais combater outros agentes infecciosos.

À medida em que se multiplica e destrói os linfócitos T-CD4+, o vírus HIV vai incapacitando o sistema imunológico, permitindo que a pessoa desenvolva outras doenças, que são chamadas de oportunistas. Quando isso acontece é que a pessoa desenvolve a aids. Ou seja, a diferença entre HIV e aids, é que HIV é o vírus que pode provocar a aids, que significa síndrome da deficiência imunológica adquirida. No entanto, isso leva um tempo bastante variável para acontecer.

Quando a pessoa é contaminada, passa a ser soropositiva. Porém, muitos soropositivos podem viver anos com o vírus sem desenvolver a AIDS e ter sinais e sintomas da doença. No entanto, mesmo sem desenvolver a doença, quem tem o vírus HIV pode transmiti-lo para outras pessoas. Confira abaixo as formas de contágio:

  • Fazer sexo vaginal, anal e oral sem usar preservativo;
  • Receber transfusão de sangue contaminado;
  • Compartilhar instrumentos perfurocortantes sem esterilizar antes, como seringas e alicates de unha;
  • Da mãe para o filho durante a gravidez, o parto e a amamentação.

Conhecer o quanto antes a sorologia positiva para o HIV aumenta muito a expectativa de vida de uma pessoa que vive com o vírus. Quem se testa com regularidade, busca tratamento no tempo certo e segue as recomendações do médico ganha muito em qualidade de vida.

Além disso, as mães que vivem com HIV têm 99% de chance de terem filhos sem o HIV se seguirem o tratamento recomendado durante o pré-natal, parto e pós-parto.

Por isso, se você passou por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido ou compartilhado seringas, faça o teste anti-HIV. O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito a partir da coleta de sangue. Aqui no Gerardo Trindade temos os exames laboratoriais e os testes rápidos, que detectam os anticorpos contra o HIV.

Em todos os casos, a infecção pelo HIV pode ser detectada em, pelo menos, 30 dias a contar da situação de risco. Isso porque o exame laboratorial ou teste rápido busca por anticorpos contra o HIV no material coletado. Esse período é chamado de janela imunológica.

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Todos na luta contra o câncer: hábitos que fazem a diferença na prevenção

Você diria que tem hábitos saudáveis? O objetivo da prevenção primária é impedir que o câncer se desenvolva, isso significa evitar a exposição aos fatores de risco e adotar um modo de vida equilibrado. 

Muitas pessoas justificam a falta de um estilo de vida saudável com a correria ou a falta de tempo. É o seu caso? Viver com qualidade de vida implica em atitudes no momento presente e quando você deseja chegar à terceira idade com saúde, e esse é o desejo de todos, é muito importante que ela seja sua maior prioridade, independente dos compromissos e do tic-tac do relógio. Por este motivo, selecionamos uma série de hábitos que interferem na prevenção dos mais diversos tipos de câncer. Que tal dar uma lida e ver o que você já adota no seu dia a dia?

O QUE FAZER

Ter uma alimentação saudável 

Um cardápio saudável, equilibrado e diversificado, com alimentos majoritariamente de origem vegetal, como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, evitando ou não consumindo alimentos ultraprocessados, como aqueles prontos para consumo ou para aquecer, bebidas adoçadas, entre outros, está na lista de hábitos que fazem a diferença na luta contra o câncer. Além disso, aprender a gostar de comer o que faz bem deve ser uma meta diária, principalmente sabendo do papel que esse tipo de alimentação tem, não apenas no combate ao câncer, mas no combate de outras doenças.

Cuidar do peso 

Quando você conquista o hábito de ter uma alimentação saudável você contribui para um peso corporal adequado. Claro que nem sempre é fácil manter o peso, principalmente se você tem doenças que interferem nesse quesito. Por outro lado, já é grande parte do caminho andado. Além do mais, se você sentir que está enfrentando dificuldades para manter o peso pode procurar um endocrinologista e um nutrólogo para ajudá-lo durante essa trajetória. 

Praticar atividades físicas

Você não precisa se matricular numa academia e nem praticar modalidades esportivas que demandam recursos financeiros. Você pode caminhar, correr, andar de bicicleta, levar o cachorro para passear todos os dias, dançar, nadar na piscina da sua casa ou condomínio, trocar o elevador pelas escadas, entre outras possibilidades. Torne esse momento divertido, seja através do caminho para o trabalho ou retorno.

Amamentar

A amamentação até os 2 anos de idade ou mais, sendo exclusiva até os 6 meses de idade, protege as mães contra o câncer de mama, por exemplo, e as crianças contra a obesidade infantil. 

Fazer um check-up anual 

Homens, mulheres, crianças e idosos devem fazer um check-up anual, incluindo todos os exames recomendados de acordo com a sua faixa etária e condição de saúde. No caso das mulheres, especialmente, deve ser feito também o preventivo e a mamografia. No caso dos homens, o PSA.  

Manter a vacinação em dia

Quando o assunto é câncer, principalmente câncer do colo do útero, a vacinação contra o HPV é fundamental na prevenção. Além disso, a vacinação contra a hepatite B também é muito importante, já que o câncer de fígado está relacionado à infecção pelo vírus causador da doença. 

O QUE EVITAR OU NÃO FAZER

Ingerir bebidas alcoólicas

Seu consumo, em qualquer quantidade, contribui para o risco do câncer. Além disso, consumir bebidas alcoólicas com o tabaco aumenta a possibilidade do surgimento da doença. 

Ingerir carnes processadas

Presunto, salsicha, linguiça, bacon, salame, mortadela e peito de peru podem aumentar a chance de desenvolver câncer. Além disso, os conservantes (como nitritos e nitratos), podem provocar o surgimento do câncer de intestino (cólon e reto). 

Fumar

Não fumar é uma das regras mais importantes para prevenir o câncer, principalmente os de pulmão, cavidade oral, laringe, faringe e esôfago. Ao fumar, são liberadas no ambiente mais de 7.000 compostos e substâncias químicas que são inaladas por fumantes e não fumantes. 

Ficar exposto a agentes cancerígenos no trabalho

Agentes químicos, físicos e biológicos ou suas combinações são causas bem conhecidas de câncer relacionado ao trabalho. Evitar ou diminuir a exposição a estes agentes é o ideal para evitar qualquer chance de ter a doença. 

Conte com o Laboratório Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

A importância da dosagem do PSA na prevenção do câncer de próstata

A conscientização em relação aos cuidados da saúde masculina ainda é necessária em pleno século XXI, já que os homens procuram menos pelos serviços de saúde. O que se observa é uma certa resistência tanto nos cuidados preventivos quanto em relação às orientações médicas. Isso é comum aí na sua casa?

Segundo o Inca, todo ano, o câncer de próstata atinge o equivalente a um estádio de futebol lotado. Esse número é assustador, né? Pois é, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil. O diagnóstico precoce pode aumentar em 90% as chances de cura. Por isso, o objetivo do Novembro Azul é conscientizar o máximo possível sobre a importância do PSA (antígeno prostático específico), que é o marcador mais utilizado para diagnosticar qualquer tipo de alteração na próstata e, consequentemente, o câncer.

A maioria dos homens sem câncer de próstata tem níveis de PSA inferiores a 4 nanogramas por mililitro (ng /mL) de sangue. A chance de um homem desenvolver câncer de próstata aumenta proporcionalmente com o aumento do nível do PSA. Geralmente, quando o câncer de próstata está presente o nível do PSA está acima de 4 ng/ml. Entretanto, um nível abaixo desse valor não significa que o câncer não esteja presente. Cerca de 15% dos homens com PSA abaixo de 4 ng/ml são diagnosticados com câncer de próstata na biópsia.

Os homens com níveis de PSA entre 4 ng/ml e 10 ng/ml, têm uma chance em 4 de ter a doença. Se o PSA se encontra acima de 10 ng/ml, a possibilidade de ter câncer de próstata é superior a 50%.

A adoção de hábitos saudáveis, a prática de atividade física regular, a alimentação balanceada e o uso moderado de bebidas alcoólicas são cruciais para diminuir as chances de desenvolver doenças. Além disso, um check-up anual deve fazer parte da vida dos homens e ser visto como uma oportunidade de ter um olhar mais atento à saúde.

Para homens com histórico familiar de câncer de próstata antes dos 60 anos e assintomáticos, a recomendação também é consultar um médico, pois somente ele pode orientar quanto aos riscos e benefícios da realização dos exames. Vale lembrar que o câncer de próstata é considerado de terceira idade, já que ¾ dos casos acontecem a partir dos 65 anos e o risco pode ser maior em quem tem histórico familiar da doença.

Reforçamos que o diagnóstico precoce de doenças aumenta as chances de tratamento! Por isso, se você é homem e está lendo esse post, adote uma postura proativa em cuidar de quem mais importa: você!

Conte com o Gerardo Trindade!

Página 2 de 21