Categoria: Outubro Rosa

Exames genéticos na prevenção do câncer de mama

Estamos no Outubro Rosa, um mês de prevenção e combate ao câncer de mama. O que muita gente não sabe é que esse tipo de câncer e o câncer de ovário estão  associados a um componente hereditário em 5% a 10% dos casos, inclusive antes mesmo dos 40 anos. 

Pessoas com mutações nos genes BRCA1 e BRCA2 são mais suscetíveis ao câncer de mama, é o que mostra uma pesquisa que identificou mutações nos genes BRCA1 e BRCA2 em até 30 % dos casos de câncer de mama hereditário. Pacientes com uma destas mutações apresentam um risco para desenvolver câncer de mama ao longo da vida que pode variar entre 45 e 80%.  Além disso, esses pacientes também têm predisposição ao câncer de próstata e pâncreas.

Como os testes genéticos funcionam?

Os testes genéticos procuram alterações específicas herdadas (mutações) nos cromossomos, genes ou proteínas de uma pessoa. As mutações genéticas hereditárias podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver câncer dependendo da função do gene. Mutações em genes que controlam o crescimento celular e o reparo do DNA danificado são particularmente propensas a serem associadas a um maior risco de câncer.

O caso Angelina Jolie

Há alguns anos a atriz Angelina Jolie optou por uma mastectomia dupla por conta do câncer de mama, mesmo sem ter desenvolvido a doença. Sua decisão foi pautada em seu histórico familiar significativo. Através de testes genéticos ela descobriu que herdou uma mutação patogênica no gene BRCA1 e seu risco para desenvolver câncer de mama foi calculado em 87%. 

Por que fazer os testes genéticos?

Ter dois ou mais casos de câncer de mama em parentes de primeiro e segundo graus de um mesmo lado da família (materno ou paterno) e com idade menor do que 50 anos é um forte indício de que há uma alteração genética aumentando significativamente o risco de novos casos entre membros desta família. Por isso, a identificação da variante patogênica é essencial para prever prognóstico e decidir pela melhor conduta terapêutica.

Os testes genéticos apontam com precisão o risco de câncer, principalmente para pacientes assintomáticos, orientando as decisões do seu médico sobre a melhor forma de gerenciar seu risco e acompanhá-lo. Além disso, eles também influenciam a elegibilidade para alguns estudos científicos. 

E se eu tiver predisposição?

Se for encontrada alguma alteração no seu teste genético é muito importante que você tome algumas medidas para reduzir seu risco ou, se for o caso, diagnosticar a presença do câncer precocemente: fazer check-ups mais frequentes, mudar seu estilo de vida: abandonando o cigarro e o álcool, tendo uma rotina regular de atividades físicas e uma alimentação saudável e equilibrada. Você também pode reduzir seu risco de câncer hereditário com medicamentos ou cirurgias, converse com seu médico. 

Aqui no Gerardo Trindade você pode realizar seu teste genético com total segurança! Conte conosco para cuidar da sua saúde! ❤

Mulheres, vamos falar de saúde?

O famoso ditado popular já nos diz: “Prevenir é melhor do que remediar.” Saúde é sinônimo de estar bem, pronta para viver de forma tranquila e saudável e estar sempre bem para curtir a família. Para isso, estar com a saúde e o check-up em dia é essencial!

Mas o que deve fazer parte do check-up laboratorial feminino?

– colesterol total e frações + triglicérides: estes exames vão avaliar como está a taxa de gorduras no seu sangue, se você precisa fazer alguma alteração na sua rotina de alimentação e exercícios ou, ainda, se precisa usar alguma medicação para controlar as taxas de gorduras no sangue.

– glicemia de jejum: este exame avalia o nível de glicose – açúcar – no seu sangue. Glicose acima do normal pode causar danos aos rins e aos olhos.

– hemograma: um exame rápido que dá muitas pistas sobre sua saúde! O hemograma é um exame de triagem. Dependendo das alterações apontadas por ele, seu médico irá pedir exames complementares. O hemograma é útil para detectar, principalmente, anemias e infecções.

– urina rotina: alterações no exame de urina rotina – que é um exame de triagem – informam claramente qualquer problema  nos seus rins.

– uréia e creatinina: aliados ao exame de urina de rotina avaliam a função renal, que pode ficar alterada em pacientes hipertensos e diabéticos.

– TGO, TGP e GGT: são enzimas presentes no fígado. Qualquer alteração no órgão acaba elevando a taxa dessas enzimas. Por isso, qualquer alteração serve de alerta para pesquisar a causa do problema.

– pesquisa de sangue oculto nas fezes: este exame acusa a presença de quantidade de sangue invisível a olho nu. O sangue nas fezes pode ser sinal de alguma doença mais séria. Trata-se de um exame simples, que pode prevenir agravamento de doenças tratáveis.

–  TSH e T4 livre: estes dois exames, quando feitos em conjunto, dão um panorama do funcionamento da tireoide.

– LH / FSH / Estradiol: são hormônios femininos importantes no desenvolvimento e manutenção das características femininas normais, como forma do corpo, sexualidade e fertilidade. Importante no acompanhamento da menopausa e na síndrome dos ovários policísticos.

Além dos exames laboratoriais do check-up laboratorial anual, outros exames são fundamentais para você manter sua saúde em dia:

ir ao ginecologista anualmente para fazer exame preventivo de câncer de colo de útero e avaliar as mamas. Para algumas mulheres, também é indicado a realização de mamografia anualmente.

Conte com o Laboratório Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Câncer​ ​de​ ​Mama:​ ​precisamos​ ​falar​ ​sobre​ ​isso!

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos. A idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos). Outros fatores que aumentam o risco da doença são:

Fatores​ ​ambientais​ ​e​ ​comportamentais:
Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
Sedentarismo (não fazer exercícios);
Consumo de bebida alcoólica;
Exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X).

Fatores​ ​da​ ​história​ ​reprodutiva​ ​e​ ​hormonal:
Primeira menstruação antes de 12 anos;
Não ter tido filhos;
Primeira gravidez após os 30 anos;
Não ter amamentado;
Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos;
Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona);
Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.

Fatores​ ​genéticos​ ​e​ ​hereditários:​*
História familiar de câncer de ovário;
Casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos;
História familiar de câncer de mama em homens;
Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

*A mulher que possui um ou mais desses fatores genéticos/ hereditários é considerada com risco elevado para desenvolver câncer de mama. Já o câncer de mama de caráter genético/hereditário corresponde a apenas 5% a 10% do total de casos da doença. Homens também podem ter câncer de mama, mas somente 1% do total de casos é diagnosticado em homens.

Importante: ​a presença de um ou mais desses fatores de risco não significa que a mulher necessariamente terá a doença.

Como​ ​ocorre​ ​a​ ​prevenção?

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como:

Praticar atividade física regularmente;
Alimentar-se de forma saudável;
Manter o peso corporal adequado;
Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
Amamentar.

É extremamente importante que as mulheres observem suas mamas sempre que se sentirem confortáveis para tal (seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano), sem técnica específica, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias.

Fique​ ​atenta​ ​aos​ ​sinais​ ​e​ ​sintomas!

. Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
. Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
. Alterações no bico do peito (mamilo);
. Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
. Saída espontânea de líquido dos mamilos.

Detecção​ ​Precoce

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando as chances de tratamento e cura. Todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres. Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas.

Mamografia é uma radiografia das mamas feita por um equipamento de raios X chamado mamógrafo, capaz de identificar alterações suspeitas.

Mulheres com risco elevado para câncer de mama devem conversar com seu médico para avaliação do risco para decidir a conduta a ser adotada.

Fonte: Inca.