Categoria: Exames

Esteatose Hepática: reunimos todas as informações que você precisa sobre essa doença

A Esteatose Hepática nada mais é que o acúmulo anormal de gordura no fígado e, por mais que possa ser comum entre nichos específicos da população, está longe de ser sinal de uma boa saúde, muito pelo contrário, quando a gordura se acumula nesse órgão, é fato que algo de errado está acontecendo. Por isso, juntamos aqui todas as informações que são necessárias para você conhecer mais sobre essa doença e assim, estar atento e se cuidar.

Causas

Entre as causas para o acúmulo de gordura no fígado, um estilo de vida não saudável está presente, junto com a gravidez, sedentarismo, o uso de determinados medicamentos e a perda ou ganho de peso súbitos. Além deles, o consumo de bebidas alcoólicas pode também ser indicado como causa, ainda que aconteça de forma esporádica. Porém, quando drogas e/ou bebidas alcoólicas são consumidas constantemente, criam lesões no fígado que podem, a longo prazo, resultar no acúmulo de gordura que leve à sua falência.

Sintomas

Os principais sintomas dessa doença são dor no abdômen e a barriga inchada, causada pelo aumento do tamanho do fígado, também é comum que os pacientes sintam dores constantes de cabeça, cansaço e fraqueza diários e até mesmo a perda do apetite. Ainda, em casos graves, o paciente pode apresentar icterícia, inchaço nas pernas e pés e hemorragias.

Fatores de risco

Assim como qualquer doença, o fígado gorduroso possui seus fatores de risco, sendo os mais frequentes deles a obesidade, a diabetes mellitus, dislipidemia, hipertensão arterial e a síndrome metabólica. Ainda, também são fatores de risco o consumo de medicamentos como a amiodarona, corticosteroídes, estrógenos, e tamoxifeno, o contato com determinados produtos químicos, o uso de esteroides anabolizantes e até mesmo a realização de cirurgias abdominais, tais como bypass jejuno-ileal e derivações bilio-digestivas.

Prognóstico

A esteatose hepática pode permanecer estável por muitos anos e quando o motivo pelo qual a gordura se acumulou no órgão for encontrado, é possível reverter o quadro, controlando suas causas. Por exemplo, se a gordura estiver ali pelo consumo exagerado do álcool, cerca de seis semanas após a pessoa parar de beber, a gordura já desaparecerá.

Diagnóstico

Para a obtenção do diagnóstico, o paciente precisa realizar exames de sangue, ultrassonografias e, algumas vezes, a biópsia do fígado. Entretanto, como é necessário certo período de tempo para que o acúmulo de gordura no fígado, e em outros órgãos, seja percebido, pode acontecer de o diagnóstico vir tardiamente.

Em casos graves, a esteatose hepática pode vir acompanhada ou não de uma inflamação (esteato-hepatite), que pode, inclusive, evoluir para cicatrização (fibrose). Esta frequentemente evolui para cirrose, que compromete a função do fígado e pode o levar à falência. Justamente para evitar esse nível de gravidade é importante a ida frequente ao médico, pois quanto antes a doença for diagnosticada, mais chances de o tratamento ser efetivo.

Tratamento

Após o diagnóstico, o médico desenvolverá uma linha de tratamento que se encaixe melhor ao caso do paciente, podendo envolver a prescrição de medicamentos e os chamados recursos não farmacológicos, com o intuito de modificar o estilo de vida da pessoa, tais como uma reeducação alimentar através de dietas para o controle do peso e do consumo de alimentos prejudiciais, como bebidas alcoólicas e comidas gordurosas, a prática de atividades físicas, etc.

Como dito um pouco acima, é importante ir com frequência ao médico para a realização dos exames de check-up. Nesse caso, o Laboratório Gerardo Trindade possui pacotes de check-up específicos para cada fase da vida!

No Gerardo Trindade você tem garantia de bom atendimento e serviços de qualidade. Clique aqui para entrar em contato através do nosso Whatsapp e agendar seus exames!

ENTENDENDO O EXAME TOXICOLÓGICO

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o número de acidentes envolvendo caminhões e ônibus diminuiu cerca de 40% após a aprovação da obrigatoriedade do exame.

O exame toxicológico pode ser realizado em várias situações, por exemplo quando existem suspeitas de envenenamento por substâncias tóxicas ou ansiolíticos. Entretanto, aqui no Brasil, ele é exigido pela lei federal n° 13.103, de 02 de março de 2015 e obrigatório para motoristas com Carteira Nacional de Habilitação nas categorias C, D ou E.

Com a aprovação do novo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), através da lei 14.071/20, vigente desde o dia 12/04/2021, algumas regras em relação ao exame toxicológico mudaram. A partir de então, os motoristas de categorias C, D e E, com idade inferior a 70 anos de idade, devem realizar o exame a cada 30 meses, independente da validade de sua CNH.

Hoje, iremos tirar todas as suas dúvidas sobre esse exame.

O que é?

O toxicológico é uma análise laboratorial indolor, rápida e não invasiva, feita em amostras de cabelo ou pêlos, sem a necessidade de agulhas. Seu objetivo é verificar se o condutor testado consumiu algum tipo de substância tóxica ou droga nos últimos 90 ou 180 dias. Caso o motorista seja exposto a ambientes onde outras pessoas fizeram uso de substâncias ilícitas, o resultado do exame não será alterado. Mesmo que o condutor tenha inalado fumaça por longos períodos, a amostra não sofre interferências pois passa por procedimentos prévios no laboratório antes da análise.

Em quais situações deve ser realizado?

Como mencionado anteriormente, o exame toxicológico é exigido a todo o motorista que pretende obter a CNH nas categorias C, D ou E. Além desse caso, é obrigatória a realização do exame toxicológico para aqueles que pretendem obter, renovar ou alterar a categoria de sua Carteira Nacional de Habilitação. Segundo a nova lei federal nº 14.071/20, também é obrigatório o Toxicológico Periódico, realizado a cada 2 anos e 6 meses, a todos os habilitados com menos de 70 anos de idade.

E em relação ao procedimento?

Para sua realização, não é necessário nenhum tipo de preparação prévia, como jejuns ou ingestão de certa quantidade de líquidos, pois, como dito, no exame toxicológico é feita a coleta de pelos ou cabelo de forma indolor, com o auxílio de uma tesoura. As únicas exigências feitas em relação ao cabelo é que não esteja úmido ou molhado e que possua 3 cm ou mais de comprimento, ou seja, não há problema se o cabelo estiver descolorido, tingido, alisado ou com gel.

É importante reforçar a necessidade de o cabelo ser natural do próprio doador, não podendo ser feita a análise em apliques, sejam eles naturais ou sintéticos.

Quais substâncias são detectadas no exame?

O exame é capaz de identificar a média de consumo do motorista testado, classificando seu hábito em uma escala que vai de levíssimo a gravíssimo. Além do LSD, pó de anjo e alguns opiáceos (codeína, morfina e a heroína), as seguintes substâncias são identificadas:

Anfetamina: Esse psicoativo faz com que a pessoa fique elétrica, agitada e perca o sono, por isso é muito comum nas estradas do país. Entretanto, seus efeitos colaterais são pesados; ansiedade, náusea, alucinações, paranóias, dor de cabeça, visão turva/tremida, podem até mesmo levar a um infarto do miocárdio.

Metanfetamina: Sob efeito, o usuário se sente ligado, impulsivo e confiante, ficando alguns dias sem dormir também. Quando o efeito passa, a exaustão e agressividade tomam conta.

Ecstasy: Estimulante do sistema nervoso, seus efeitos mais comuns são a ansiedade, paranoia, suor excessivo, aumento dos batimentos cardíacos e insônia.

Maconha: Assim como seus derivados skunk e haxixe (também detectáveis pelo exame), os efeitos de seu uso são pensamentos mais lentos, dificuldade de raciocinar, retina e boca ressecadas, perda da memória de curto prazo e sonolência.

Cocaína: Gera agitação, sensação de poder, pensamento acelerado e insônia. Mas, em alguns casos, também pode causar delírios, agressividade, ansiedade, tremores e contrações musculares.

E se o motorista discordar do resultado?

Em casos de objeção ao resultado do exame toxicológico, o cliente poderá realizar uma solicitação de contraprova junto ao laboratório onde foi testado. Um novo exame é feito a partir de uma amostra dos cabelos, pelos ou unhas coletada posteriormente para a primeira testagem. É recomendado que o segundo exame seja realizado no mesmo laboratório em que o primeiro, pois existe a possibilidade da Senatran, a Secretaria Nacional de Trânsito, antiga Denatran, não aceitar o segundo teste para serviços de habilitação.

A droga é detectada pelo exame toxicológico quanto tempo após o consumo?

Não é possível detectar as substâncias logo após seu consumo, pois é necessário aguardar sua metabolização na corrente sanguínea. Assim, uma vez no sangue, a droga é depositada e absorvida pela queratina contida nos bulbos capilares, processo que leva, em média, de 6 a 7 dias para sua totalização.

Entretanto, vale ressaltar que o consumo de drogas é prejudicial à saúde do ser humano e a segurança daqueles que estão à sua volta, portanto, não é recomendado sob nenhuma hipótese.

Por que o exame é feito no cabelo ou pelo?

Após ser consumida, a droga é carregada pela corrente sanguínea que, em conjunto com a oleosidade da pele e a transpiração, é responsável por depositá-la na queratina dos fios, tanto do cabelo quanto do pelo.

Dessa forma, à medida que o cabelo cresce, as substâncias são incorporadas no córtex capilar e fixadas nos fios. Por isso, se o consumo for contínuo, maior é o teor de componentes das substâncias encontradas. Com amostras de 3 cm de comprimento, é possível detectar quais quantidades de quais drogas foram consumidas nos últimos 90 dias (3 meses) e conforme maior seja o tamanho do cabelo, maior é o período que poderá ser analisado.

O que mais levar em consideração?

Janela de detecção: Caso não seja possível realizar o exame através de amostras capilares, o pelo do doador é coletado, entretanto, existem diferenças entre os resultados dos exames já que a  janela de detecção varia conforme o processo de crescimento dos cabelos e dos pêlos, que é diferente em ambos os casos. Enquanto os cabelos crescem continuamente (o que possibilita a detecção de drogas consumidas em 90 dias), os pêlos caem quando completam seu ciclo, em aproximadamente em 6 meses, único período passível de ser analisado com essa amostra.

Amostra de unhas: Os testes só são realizados com amostras de unhas quando o condutor apresenta quadros clínicos que impossibilitam a coleta de de outro tipo de amostra, como a alopecia universal.

Álcool e cigarro: De acordo com a Lei 13.103, não há a necessidade de detectar o consumo de bebidas alcoólicas, cigarros, energéticos, antidepressivos, anabolizantes, calmantes e similares.

Remédios prescritos: Algumas das substâncias detectadas obrigatoriamente pelo exame podem ser prescritas por um médico para tratamentos específicos. Nesses casos, o condutor deve apresentar a receita medicamentosa no momento em que realizará a coleta das amostras para testagem, conforme previsto na Lei 13.103. Dessa maneira, o motorista evitará sua reprovação no exame toxicológico.

Onde realizar o exame toxicológico?

O motorista pode fazer seu exame toxicológico em qualquer clínica ou laboratório que seja credenciado junto a Senatran. Se você é de Pirapora/MG, faça seu exame no Laboratório Gerardo Trindade! Aqui, nós parcelamos o valor em até 6 vezes no cartão de crédito!

Ficou com alguma dúvida? Estamos no Whatsapp: (38) 99200-1138

DENGUE, ZIKA OU CHIKUNGUNYA: IDENTIFICAR O VÍRUS PODE SALVAR VIDAS!

Os casos de dengue, zika e chikungunya estão crescendo no Brasil. Os três vírus são transmitidos pelo Aedes aegypti, um vetor que se aproveita de lixo espalhado em locais mal cuidados e é favorecido pelo calor e pela chuva – característicos do clima desta época do ano.

As três doenças têm sintomas parecidos, mas evoluem de forma diferente e, portanto, é importante ter o diagnóstico correto. Apresentou sintomas suspeitos? Não espere para realizar os exames, especialmente o hemograma, que deve ser repetido diariamente para monitorar as plaquetas, e o NS1, que consegue identificar a dengue nos primeiros dias dos sintomas suspeitos. Esse cuidado é essencial para intervir em casos de agravamento do quando clínico.

Entre as três doenças, a chikungunya é a que provoca mais dores no corpo. São dores articulares que se prolongam até depois do paciente ter se livrado do vírus, podendo vir a cronificar.

No caso da dengue, além de febre, dor no corpo e manchas, costuma aparecer uma dor atrás dos olhos e, nos casos mais graves, sangramentos nas mucosas, como a boca e o nariz. Quando há sangramentos as plaquetas estão baixas, o paciente precisa de suporte médico urgente, por isso a importância do monitoramento diário feito com o hemograma.

Atenção maior deve ser dada às crianças com suspeita de dengue, pois os sintomas podem ser muito parecidos com os da gripe. Por isso muitas vezes a doença passa rapidamente para o estágio grave sem ser identificada precocemente. Em geral, os sintomas de dengue na criança incluem:

  • Apatia e sonolência;
  • Dor no corpo;
  • Febre alta, de início repentino e que dura entre 2 e 7 dias;
  • Dor de cabeça;
  • Recusa para comer;
  • Diarreia ou fezes amolecidas;
  • Vômitos;
  • Manchas vermelhas na pele, que surgem geralmente depois do 3º dia de febre.

Em crianças menores de 2 anos, sintomas como dor de cabeça e dor muscular podem ser identificados pelo choro persistente e irritabilidade. Na fase inicial da dengue não há sintomas respiratórios, no entanto o que faz muitas vezes os pais confundirem a dengue com a gripe é a febre, que pode acontecer em ambos os casos.

A zika apresenta sintomas parecidos com os da dengue, só que a infecção não costuma ser tão severa e passa mais rápido. Há, no entanto, um complicador caso a pessoa infectada esteja grávida. Nestas situações, a doença pode prejudicar o bebê em formação causando microcefalia, alterações neurológicas e/ou síndrome de Guillain-Barré, no qual o sistema nervoso passa a atacar as células nervosas do próprio organismo.

A distinção entre as três doenças é feita com exames de sangue, que vão identificar os anticorpos formados contra cada vírus. No caso da dengue, o exame NS1 consegue detectar a presença do vírus logo no início dos sintomas, permitindo uma maior atenção ao paciente caso o teste seja reagente.

Em relação ao tratamento, não há remédios específicos para estas doenças e o tratamento é sintomático, apenas.

A melhor forma de se prevenir contra estas viroses é combater e eliminar o mosquito transmissor. O Aedes aegypti se prolifera ao depositar seus ovos em locais com água parada, como pneus, garrafas, vasos de plantas, bebedouros e caixas d’água.

Diferente do que se acreditava anteriormente, o Aedes não se reproduz apenas em água limpa, já que se adaptou ao ambiente urbano, à poluição da água e a recipientes artificiais. Por isso, o recomendado é não deixar água parada em nenhum local e contribuir com a conscientização coletiva de inspeção de focos de proliferação em casas e quintais, locais públicos e terrenos baldios.

Faça sua parte, mantenha os ambientes limpos e não deixe água parada! E em casos de suspeita, procure ajuda médica imediatamente e faça os exames indicados por ele. Em caso de dúvida, converse com nossa equipe para mais informações!

Entenda o que mudou no exame toxicológico periódico para renovação de CNH

Em abril de 2021, os caminhoneiros foram surpreendidos com a aplicação da Lei Federal nº 14.071/2020.  Em vigor desde o dia 12/04/2021, a Lei federal nº 14.071/20, popularmente conhecida como “nova lei de trânsito”, foi elaborada com o objetivo de atualizar diversos pontos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), estabelecendo também algumas novas regras para o Exame Toxicológico Periódico, impactando todos os motoristas brasileiros, principalmente das categorias C, D e E. De repente, o prazo para realizar o exame toxicológico periódico tornou-se urgente para os quase dois milhões de caminhoneiros no Brasil! E os laboratórios que realizam o teste não estavam preparados para o aumento repentino da demanda, que foi multiplicada por mais de cinco vezes de um dia para o outro. Faltou kit para coletar amostra. Laudos que antes eram liberados em uma semana, passaram a ter um grande atraso em sua liberação. 

PRINCIPAIS MUDANÇAS PREVISTAS NA LEI Nº 14.071/2020
Exame toxicológico a cada dois anos e 6 meses para motoristas com idade inferior a 70 anos
Infração gravíssima para quem for flagrado dirigindo sem a realização do exame período após 30 dias do prazo estabelecido
Multa de R$1.467,35
Suspensão do direito de dirigir por 3 meses

Em relação aos procedimentos do exame toxicológico, como as coletas das amostras (cabelo e pelo), janela de detecção (90 a 180 dias), e das drogas analisadas, as regras permanecem as mesmas, sem sofrer alterações.

Confira abaixo os detalhes das novas regras do exame toxicológico periódico:

1)Exame toxicológico a cada dois anos e 6 meses

Como mencionado anteriormente, uma das novas regras do exame toxicológico periódico é referente ao prazo para a renovação do exame. 

Segundo as novas mudanças na lei do CTB, através do Art. 148-A parágrafo § 2º, os condutores de categorias C, D e E, com idade inferior a 70 anos, deverão renovar o exame toxicológico a cada 2 anos e 6 meses, independente da validade da CNH e dos exame de aptidão física e mental.

Para os motoristas que tenham idade acima de 70 anos, não precisarão renovar o exame antes do vencimento da CNH.

No entanto, vale ainda ressaltar um ponto importante da nova lei de trânsito, que é relacionada a ampliação do aumento da validade da CNH. Levando em consideração esse aumento, o exame toxicológico periódico para as categorias C, D ou E deverá ser realizado nas seguintes condições;

– Motoristas com idade inferior a 50 anos, deverão renovar a carteira nacional de habilitação (CNH) a cada 10 anos. Contudo, dentro do período de validade da CNH, o condutor deverá realizar o exame toxicológico de larga janela de detecção a cada 2 anos e 6 meses.

– Para os motoristas com idade igual ou superior a 50 e inferior a 70 anos, a renovação da CNH ocorrerá a cada 5 anos. Porém, o exame toxicológico também é necessário a cada 2 anos e 6 meses.

– Por fim, para os motoristas com idade de 70 anos ou mais, a renovação da CNH deverá ser feita a cada 3 anos. Entretanto, para estes condutores, o exame toxicológico poderá ser realizado no momento da renovação da CNH.

2) Infração gravíssima para quem conduzir veículos sem ter renovado o exame toxicológico

Uma das novas regras do exame toxicológico que foi acrescentada no novo código de trânsito (CTB), através do Art. 165-B, é em relação a aplicação de infração gravíssima ao condutor. 

Segundo a lei, o condutor que for flagrado conduzindo um veículo para o qual é exigida a habilitação nas categorias C, D ou E sem ter realizado o exame toxicológico a cada 2 anos e 6 meses (para motoristas de idade inferior a 70 anos), após 30 dias do vencimento desse prazo estabelecido, será aplicado infração gravíssima.  

Ainda de acordo com o Art. 165-B, a mesma penalidade ocorrerá para os condutores que exercem atividade remunerada (motoristas profissionais de categorias C, D ou E) que não comprovarem a realização do exame toxicológico periódico previsto na lei.

3) Multa e suspensão do direito de dirigir por não renovar o toxicológico periódico

As novas regras do exame toxicológico periódico também prevê outras penalidades para os motoristas que não renovarem o exame toxicológico no prazo estabelecido (de 2 anos e 6 meses para motoristas com idade inferior a 70 anos), como a aplicação de multa multiplicada 5 vezes (R$ 1.467,35).

Além disso, a nova lei do exame toxicológico também prevê a suspensão do direito de dirigir por 3 meses. Neste caso, a suspensão estará condicionada à inclusão no RENACH do resultado negativo do exame toxicológico; ou seja, só será encerrada quando o motorista apresentar um novo teste toxicológico com resultado negativo, liberando assim o condutor a dirigir normalmente.

DENATRAN prorroga prazo para realização do Exame Toxicológico Periódico

Com a Lei entrando em vigor em abril/2021, de repente, o prazo para realizar o exame toxicológico periódico tornou-se urgente para os quase dois milhões de caminhoneiros no Brasil! E os laboratórios que realizam o teste não estavam preparados para o aumento repentino da demanda, que foi multiplicada por mais de cinco vezes de um dia para o outro. Faltou kit para coletar amostra. Laudos que antes eram liberados em uma semana, passaram a ter um grande atraso em sua liberação. 

Com este cenário caótico, o DENATRAN, por meio da deliberação do Contran nº 222 de 27 de abril de 2021prorrogou o prazo para os motoristas de CNH C, D ou E realizarem o Exame Toxicológico Periódico. A medida foi adotada principalmente para evitar transtornos aos motoristas e demais doadores que dependem do resultado do toxicológico, independente da modalidade do exame.

Em vista disso, o DENATRAN estabeleceu que a prorrogação do prazo para realizar o exame periódico passará a ser de acordo com o período de vencimento da última CNH. Além disso, para não prejudicar os motoristas, o início da fiscalização das novas regras do toxicológico periódico também foram adiadas, passando a vigorar a partir de 1º de Julho de 2021.

Outros pontos alterados pela deliberação nº 222 do Contran foram:

– quando o motorista fizer a coleta do material e esta for registrada no RENACH, ele já está cumprindo o prazo estabelecido, ou seja, não precisa esperar pelo laudo do exame para fins de fiscalização

– o exame toxicológico periódico poderá ser utilizado em até 90 dias para renovação da carteira. Depois desse prazo, é necessário fazer um novo exame;

– o prazo para a emissão do laudo do exame toxicológico periódico foi estendido para até 25 dias;

Confira abaixo a tabela divulgada pelo DENATRAN contendo os prazos limites para a realização do exame toxicológico periódico (de acordo com o período de vencimento da última CNH), e os prazos para o início das fiscalizações.

VALIDADE DA CNHPRAZO LIMITE PARA A REALIZAÇÃO DO EXAME TOXICOLÓGICO PERIÓDICOINÍCIO DA FISCALIZAÇÃO
De março a junho de 2021Até 30 de junho de 20211º de julho de 2021
De julho a dezembro de 2021Até 31 de julho de 20211º de agosto de 2021
De janeiro a junho de 2022Até 31 de agosto de 20211º de setembro de 2021
De julho a dezembro de 2022Até 30 de setembro de 20211º de outubro de 2021
De janeiro a junho de 2023Até 31 de outubro de 20211º de novembro de 2021
De julho a dezembro de 2023Até 30 de novembro de 20211º de dezembro de 2021
De janeiro a abril de 2024Até 31 de dezembro de 20211º de janeiro de 2022
A Partir de maio de 2024A partir de 1º de janeiro de 2022*1º de janeiro de 2022

*Até 30 (trinta) dias após o vencimento do prazo estabelecido no § 2º do art. 148-a do CTB

Onde olhar a data de validade da sua carteira

É bem fácil, a validade fica na parte frontal da carteira, na última linha, um pouco à direita da sua foto.  Verifique a validade e confira quando você deve realizar o exame periódico.

Data de validade da CNH

Onde fazer o seu Exame Toxicológico Periódico

No Laboratório Gerardo Trindade, em Pirapora – MG, é claro! Entre em contato conosco e agende seu exame! Parcelamos o valor em até 6 vezes no cartão de crédito!Ficou com alguma dúvida? Estamos no Whatsapp: (38) 99200-1138

Vegetarianismo e saúde: check-up

Em apenas seis anos, o número de pessoas vegetarianas quase dobrou no Brasil. É o que apontou uma pesquisa feita pelo Ibope no início de 2019. Os motivos para não ingerir nenhum tipo de carne – boi, ave, peixe e frutos do mar – são diversos, dentre eles: filosofia e ética (causa animal e ambiental), religião, estilo de vida, entre outros. 

Para evitar dores de cabeça relacionadas a sua saúde é bom ficar de olho no que você coloca no prato e, é claro, na sua rotina de exercícios físicos. Vale mencionar que o vegetarianismo só faz sentido quando a intenção é ser mais saudável do que antes. Por isso, nada de substituir a carne por frituras e queijos a perder de vista. 

PARA UMA DIETA VEGETARIANA SAUDÁVEL

Conhecer os grupos de alimentos e combiná-los para melhorar a obtenção dos nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo é muito importante, principalmente ao optar pela dieta vegetariana. No seu prato deve constar 50% de legumes e verduras, 25% de feijões e castanhas e 25% de cereais, como orienta a Sociedade Brasileira de Vegetarianismo (SBV).  Conheça os grupos de alimentos:

CEREAIS – arroz, trigo, centeio, milho, aveia, quinua, amaranto e produtos feitos com eles, como pães, massas de tortas, macarrão, entre outros.

LEGUMINOSAS – todas as variedades de feijões, grão-de-bico, soja (de preferência, na forma de tofu), lentilhas, ervilhas, favas e assemelhados. 

OLEAGINOSAS – nozes, amêndoas, castanhas, pistache, macadâmia e sementes (girassol, abóbora, gergelim, linhaça, entre outras). 

AMILÁCEOS – inhame, batata, cará, mandioca, batata doce, entre outros. 

LEGUMES – abobrinha, chuchu, pimentão, berinjela, cogumelos, entre outros.

VERDURAS – couve, rúcula, agrião, brócolis, mostarda, escarola, alface, taioba, algas e muitas outras. 

FRUTAS – opte sempre pelas frutas da estação; 

ÓLEOS – azeite de oliva e óleos de soja, girassol, linhaça, entre outros.

Alguns vegetarianos ainda excluem de sua alimentação não apenas a carne, mas qualquer alimento de origem animal: leite e derivados. Como em qualquer estilo de vida é importante que haja acompanhamento médico, e isso passa pelo check-up anual para avaliar o estado geral de saúde! Confira os principais exames indicados:

Vale lembrar que toda decisão que possa influenciar na sua saúde precisa de orientação médica. Por isso, consultar profissionais como nutricionistas ou nutrólogos pode ajudá-lo a passar pela transição alimentar sem surpresas negativas! 

Além disso, é importante ficar atento aos sinais do corpo: fadiga ou sensação de cansaço (físico ou mental), ganho ou perda de peso, distúrbios no sono, depressão, pouco apetite sexual, falta de concentração e dores de cabeça frequentes podem indicar alguma deficiência que precisa ser rapidamente resolvida!

Conte com o Laboratório Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!


Mulheres, vamos falar de saúde?

O famoso ditado popular já nos diz: “Prevenir é melhor do que remediar.” Saúde é sinônimo de estar bem, pronta para viver de forma tranquila e saudável e estar sempre bem para curtir a família. Para isso, estar com a saúde e o check-up em dia é essencial!

Mas o que deve fazer parte do check-up laboratorial feminino?

– colesterol total e frações + triglicérides: estes exames vão avaliar como está a taxa de gorduras no seu sangue, se você precisa fazer alguma alteração na sua rotina de alimentação e exercícios ou, ainda, se precisa usar alguma medicação para controlar as taxas de gorduras no sangue.

– glicemia de jejum: este exame avalia o nível de glicose – açúcar – no seu sangue. Glicose acima do normal pode causar danos aos rins e aos olhos.

– hemograma: um exame rápido que dá muitas pistas sobre sua saúde! O hemograma é um exame de triagem. Dependendo das alterações apontadas por ele, seu médico irá pedir exames complementares. O hemograma é útil para detectar, principalmente, anemias e infecções.

– urina rotina: alterações no exame de urina rotina – que é um exame de triagem – informam claramente qualquer problema  nos seus rins.

– uréia e creatinina: aliados ao exame de urina de rotina avaliam a função renal, que pode ficar alterada em pacientes hipertensos e diabéticos.

– TGO, TGP e GGT: são enzimas presentes no fígado. Qualquer alteração no órgão acaba elevando a taxa dessas enzimas. Por isso, qualquer alteração serve de alerta para pesquisar a causa do problema.

– pesquisa de sangue oculto nas fezes: este exame acusa a presença de quantidade de sangue invisível a olho nu. O sangue nas fezes pode ser sinal de alguma doença mais séria. Trata-se de um exame simples, que pode prevenir agravamento de doenças tratáveis.

–  TSH e T4 livre: estes dois exames, quando feitos em conjunto, dão um panorama do funcionamento da tireoide.

– LH / FSH / Estradiol: são hormônios femininos importantes no desenvolvimento e manutenção das características femininas normais, como forma do corpo, sexualidade e fertilidade. Importante no acompanhamento da menopausa e na síndrome dos ovários policísticos.

Além dos exames laboratoriais do check-up laboratorial anual, outros exames são fundamentais para você manter sua saúde em dia:

ir ao ginecologista anualmente para fazer exame preventivo de câncer de colo de útero e avaliar as mamas. Para algumas mulheres, também é indicado a realização de mamografia anualmente.

Conte com o Laboratório Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Afinal para que serve o exame de urina?

A urina é uma das principais vias de excreção do corpo humano, e suas características podem refletir a condição de diferentes sistemas e do estado fisiológico do organismo, além de ser um marcador importante para diversas doenças e ter relação direta com a condição dos rins.

Por isso, o exame de urina não serve apenas para diagnosticar e acompanhar doenças renais, e sim para identificar inúmeras alterações corporais que causam alteração na urina.

  • Cor da urina: urina saudável tem coloração entre amarelo citrino e ouro, e alterações podem indicar doenças;
  • Odor: odores mais fortes podem estar relacionados com infecções urinárias ou liberação de glicose ou outras substâncias na urina;
  • Aspecto: a urina saudável é límpida. Urina turva já indica alguma alteração.

Existem diferentes tipos de exames de urina que são solicitados de acordo com o paciente e com a intenção diagnóstica do médico.

O exame mais simples é a urina tipo I, também chamada de EAS (elementos anormais do sedimento) ou urina rotina. Ele identifica presença de nitrito, proteínas, urobilinogênio, glicose, cetonas, leucócitos, sangue, bilirrubina e a densidade urinária. Este exame é feito, geralmente, em uma amostra da primeira urina do dia, que é mais concentrada e permite uma detecção mais apurada de alguma alteração na urina.

Alguns outros exames de urina necessitam que a urina seja coletada por 24 horas e servem para avaliar a quantidade que o organismo está eliminando de determinadas substâncias: creatinina, ureia, proteínas, citrato. ácido úrico, entre outras.

O último tipo de exame de urina é a cultura de urina, ou urocultura. É solicitada quando há suspeita de infecção urinária, e serve para a identificação da bactéria causadora da infecção e identificação do antibiótico correto para o tratamento.

Além das infecções urinárias, o exame de urina pode ajudar a descobrir diversas várias doenças, como a litíase renal (pedra nos rins); diabetes; insuficiência renal; incontinência urinária; eclâmpsia em gestantes; câncer de próstata e de bexiga.

É muito importante lembrar que o exame de urina será um exame complementar, e outros exames são necessários para fechar o diagnóstico.

O exame de urina é um exame prático e simples de ser realizado, e que tem grande importância na avaliação de saúde. O ideal é que seja feito pelo menos uma vez por ano, como exame de triagem.
Faça o seu exame na Gerardo Trindade e comece o ano sem preocupações!
Av. Rodolfo Mallard, 34 – Centro, Pirapora | Telefone: (38) 3741-1137