Categoria: Água

Descarte correto de medicamentos vencidos

Você já descartou seus medicamentos de maneira inadequada, como no lixo comum ou na privada, por não saber o que fazer com eles? Essa atitude prejudica a todos: meio ambiente (água, solo e animais), além de nós mesmos. 

O medicamento que é descartado no lixo comum, por exemplo, vai direto para o aterro sanitário. Lá, ele é transformado em chorume, um líquido que sobra da decomposição do lixo. Esse líquido, por sua vez, é absorvido pelo solo e contamina o lençol freático –  isso compromete tudo: os rios, as plantas, os animais e, claro, os seres humanos. 

Os medicamentos que são jogados na privada, por sua vez, alcançam a rede de esgoto e daí vão diretamente para o rio onde o esgoto é despejado.

Já no rio, os medicamentos descartados de forma errada contaminam as plantas e os peixes. Quando o peixe é comido, a cadeia de contaminação é finalizada no homem.

Os antibióticos descartados, por exemplo, contribuem para o surgimento de bactérias multirresistentes, tipos de microrganismos que possuem a capacidade de resistir aos efeitos dos antibióticos conhecidos. Já os hormônios, como anticoncepcionais, podem causar amadurecimento sexual precoce nas crianças, além de estarem associados ao surgimento de alguns tipo de câncer.

Como evitar que tudo isso aconteça?

Se cada um fizer a sua parte, juntos, podemos evitar que tudo isso aconteça! Confira abaixo algumas maneiras simples:

– Compre somente a quantidade de medicamento necessária ao tratamento prescrito pelo médico;

– Evite a automedicação;

– Repasse o que restou dos medicamentos, se eles estiverem dentro do prazo de validade, a um postinho de saúde;

– Não jogue, em hipótese alguma, os medicamentos no lixo doméstico ou na privada;

– Realize o descarte adequado!

O Laboratório Gerardo Trindade disponibiliza um coletor especial para o recolhimento de medicamentos vencidos. Traga já o seu e contribua para um mundo melhor!

Como preservar nosso maior bem: a água

Você é uma pessoa antenada? A chamada ‘pegada hídrica’ é um conceito criado pelo pesquisador holandês Arjen Hoekstra e diz respeito a quantidade de água doce que cada pessoa consome, de forma direta ou não.

Quando falamos em preservar a água, muitos de nós pensamos em medidas simples como fechar a torneira na hora de escovar os dentes ou lavar o cabelo, juntar louça na pia ou na máquina de lavar, substituir a mangueira por um balde na hora de lavar o carro ou o quintal e assim por diante. Essas atitudes são realmente muito importantes, mas representam ainda pouco perto do consumo que é terceirizado, por assim dizer. Sobretudo, quando o nosso consumo envolve carnes, outros produtos de origem animal e até mesmo peças de roupa. 

CURIOSIDADES SOBRE A UTILIZAÇÃO DE ÁGUA NA PRODUÇÃO 

DE CARNE BOVINA: a produção de um quilo de carne bovina exige, em média, mais de 15 mil litros de água;

DE CARNE SUÍNA: a média global de consumo para a produção de carne de porco é 5.990 litros por quilo;

DE FRANGO: cada quilo de carne de frango consome 4.330 litros de água, uma quantidade alta, mas menor do que o gasto gerado pela carne bovina e suína.

DE CEREAIS: para produzir a mesma quantidade de cereais são necessários apenas 1.644 litros;

DE UMA CALÇA JEANS: são utilizados cerca de 10.000 litros de água na produção de uma calça jeans, um item que praticamente todo mundo tem no armário.

É preciso desconstruir a imagem de que a água que consumimos vem apenas da torneira e que substituir a mangueira pelo balde já nos torna uma pessoa sustentável. Repensar a nossa alimentação, hábitos e consumo é fundamental para preservar o nosso maior bem: a água.

Aproveitando o ensejo, é imprescindível que haja uma conscientização em torno do descarte inadequado de medicamentos. Esse assunto, apesar de fazer parte do nosso dia a dia, não recebe a devida atenção assim como a utilização de água nos produtos que consumimos.

A cada ano são descartadas entre 10.000 e 28.000 toneladas de medicamentos vencidos no meio ambiente pelo esgoto, privada e pelo lixo comum. O resultado é devastador: as substâncias químicas contidas nos frascos chegam aos rios contaminando a água e os peixes. A principal dica é comprar apenas a quantidade ideal de medicamento para evitar sobras. Caso isso não seja possível, o Laboratório Gerardo Trindade disponibiliza um coletor especial para o recolhimento de medicamentos, com quatro compartimentos para receber medicamentos vencidos (sólidos e líquidos), embalagens e seringas. 

A UNIÃO FAZ A FORÇA

Traga o medicamento vencido em sua casa para descartar aqui no Gerardo Trindade e contribua para preservar o meio ambiente!

Conte com o Gerardo Trindade!