Categoria: Aedes Aegypti

Verão: dengue, zika e chikungunya

A incidência de insetos aumenta muito com a chegada do verão, principalmente associada ao acúmulo de água parada em diversos recipientes por causa da chuva. Por isso, é importante ficar de olho nos focos do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya – o Aedes Aegypti – evitando sua proliferação. 

O clima quente e úmido é perfeito para sua reprodução, assim como locais com água limpa e parada. A cada três dias, são colocados cerca de 40 ovos de uma só vez. Após 7 dias como larva, o Aedes atinge sua maturidade. De cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas, ele voa a uma altura de 1,5 metros e seu maior horário de atividade é no início da manhã e no final da tarde. A fêmea pica o hospedeiro infectado e leva o vírus na saliva. Por isso, apenas ela transmite o vírus. 

*Dando fim aos focos do mosquito

– Não deixe água parada em nenhum recipiente, como garrafas, sacos plásticos e embalagens diversas;

– Se você for apegado às suas plantinhas, basta colocar areia fina na borda de seu pratinho. Se elas acumularem água é importante usar uma colher de sopa para um litro de água em sua base, pelo menos, duas vezes por semana, tirando a água acumulada nas folhas;

– Tampe e lave bem sua caixa d’água, poço, cisternas, jarras e filtros;

– Se você precisa guardar pneus velhos, por algum motivo, guarde-os em um local coberto; 

– Deixe a tampa do vaso sanitário sempre fechada;

– Limpe as calhas e a laje da sua casa sempre que notar o acúmulo de água;

– Mantenha a água da piscina sempre tratada com cloro, fazendo a limpeza uma vez por semana. Caso não a utilize, use uma lona para cobrir sua superfície!

*De olho nos sintomas 

A dengue, zika e chikungunya possuem sintomas similares, mas existem algumas diferenças:

Reprodução: Ministério da Saúde

*Diagnóstico laboratorial

O diagnóstico laboratorial irá depender da fase da doença. No início da virose – do dia 1º até o 4º dia –  são pesquisados os possíveis vírus que estão causando a doença. Nessa fase, o organismo ainda não produziu anticorpos suficientes para serem detectados pelos exames sorológicos. Por diagnóstico molecular é possível diferenciar e isolar o vírus que está causando os sintomas. No caso específico de suspeita de dengue existe outro exame – NS1 – que pesquisa uma proteína do vírus, realizado por imunocromatografia. 

Após o 6º dia do início dos sintomas, o organismo já produz anticorpos suficientes para serem detectados nos testes sorológicos e a quantidade de vírus no organismo cai a taxas indetectáveis. 

Além disso, é importante que sejam realizados hemogramas diários para acompanhar a contagem de plaquetas. Se houver uma diminuição drástica destas poderá haver perigo de hemorragias graves, principalmente em casos de reinfecção pelo vírus da dengue.

*Prevenindo complicações

Durante o período febril é importante tomar alguns cuidados, como fazer repouso de 5 a 7 dias após os sintomas; usar apenas medicamentos indicados pelo seu médico e evitar o uso de anti-inflamatórios, já que eles aumentam o risco de sangramento no caso da dengue. Se você utiliza algum de forma regular é importante informar ao médico! Além disso, é fundamental prevenir a desidratação, ingerindo soros de hidratação industrializados, água, sucos, chás e água de coco.

O período de chuvas no verão reforça a necessidade de não apenas prevenir os focos do mosquito, como conversar e conscientizar vizinhos, colegas, amigos e familiares para que eles façam o mesmo! 

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde! 

Verão e Aedes Aegypti

O verão é a época do ano mais propícia para o aparecimento e proliferação do aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, devido às chuvas. Por este motivo, a principal dica é não descuidar nem um minuto das ações preventivas contra os focos do mosquito.

Entenda o ciclo de vida do mosquito | Reprodução: Ministério da Saúde

80% dos mosquitos adultos são encontrados no quintal ou dentro das casas (Ministério da Saúde). Como o aedes aegypti é um mosquito doméstico, a única forma de prevenção é fazer uma varredura dentro de casa, mantendo a limpeza e higiene necessárias para eliminar focos. A reprodução acontece em água parada (limpa ou suja), quando as fêmeas colocam os ovos. Por isso, água parada nem pensar! Confira todas as medidas para a varredura na sua casa:

  • Verifique a limpeza das calhas;
  • Mantenha todas as lixeiras bem tampadas;
  • Tampe bem a caixa d’água;
  • Verifique a limpeza e proteção de tela de todos ralos da casa;
  • Caso tenha garrafas de enfeite ou junte as suas por algum motivo, verifique se elas estão viradas com a “boca” para baixo;
  • Preencha os pratos de vasos de plantas com areia;
  • Limpe com uma escovinha a água dos seus animais de estimação;
  • Retire a água acumulada na área de serviço, principalmente atrás da máquina de lavar roupa.
  • Cubra materiais de construção com lonas sempre bem esticadas para não acumular água;
  • Caso necessário, solicite a presença de agente de saúde para realizar o tratamento com larvicida.

O uso de repelentes está liberado, com atenção para mulheres grávidas (que devem seguir à risca as recomendações do rótulo) e crianças entre 2 e 12 anos, em que a concentração máxima do produto deve ser de 10% e a aplicação deve se restringir a três vezes por dia. Em geral, os repelentes devem ser aplicados nas áreas expostas do corpo, reaplicados de acordo com a indicação de cada fabricante e em casos de contato com os olhos é fundamental lavar imediatamente a região com água corrente.

As principais doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti são: dengue, zica, febre amarela e chikungunya. A dengue, em geral, causa febre alta súbita, dor de cabeça, no corpo e articulações, náuseas e vômitos e, em alguns casos, manchas vermelhas e coceira no corpo. A zica, ainda recente no Brasil e que causou uma série de preocupações em relação às ocorrências de microcefalia em recém-nascidos, em geral, causa febre não muito alta, dor de cabeça, nas articulações, manchas vermelhas com coceira no corpo, vermelhidão nos olhos, cansaço e, em alguns casos, nenhum sintoma. Já a febre amarela, em geral, causa febre alta, mal-estar, dores no corpo, dor de cabeça e calafrios. A chikungunya, por sua vez, ocorre junto com a dengue e os sintomas se confundem: febre alta súbita, dor de cabeça constante, manchas vermelhas no corpo com coceira intensa e dor forte nas articulações com inchaço.

O verão é a melhor estação para curtir as férias em família e se divertir sem descuidar da saúde! Por isso, vamos fazer a nossa parte? Converse com vizinhos, amigos e colegas sobre as medidas de prevenção!

Conte com o Laboratório Gerardo Trindade!