Mês: maio 2022

Gripe e resfriado: diferenças e cuidados

Espirros frequentes, tosse, dores no corpo, febre… Você sabe dizer se estamos falando da gripe ou do resfriado?

É extremamente comum que façamos confusão entre as duas doenças, afinal, mesmo sendo infecções respiratórias diferentes, seus sintomas são bastante semelhantes. Mas, para buscar o tratamento adequado para cada caso é preciso saber diferenciá-las, principalmente com a chegada da temporada fria do ano, que está cada vez mais próxima e costuma trazer mais casos de gripe junto de si. Essa é a primeira diferença que podemos apontar: o resfriado pode acontecer durante todo o ano, já a gripe é caracterizada pela sazonalidade, sendo mais comum no outono e inverno.

Outra diferença importante para começarmos é a exclusividade viral da gripe. Enquanto o resfriado pode ser causado por diversos tipos de vírus, como o rinovírus, adenovírus, parainfluenza e até o próprio influenza, entre outros, a gripe é causada única e exclusivamente pelo vírus influenza, que pode ser dos tipos A ou B. Dentro de cada uma dessas categorias, existem alguns subtipos como o H1N1 e o H3N2 dentro do tipo A e, do B, o Yamagata e o Phuket, por exemplo.

A partir daí, os sintomas possuem pequenas diferenças. Dessa forma, o resfriado normalmente acomete mais exclusivamente nariz e garganta e apresenta, na maioria dos casos, sintomas como coriza, obstrução nasal, prurido nasal, dor de garganta, conjuntivite, podendo também ocorrer a aparição da tosse. Nesses casos, o paciente se recupera em cerca de 4 dias e fica menos “derrubado” do que aconteceria com a gripe.

Já essa, geralmente, tem maior afinidade em relação ao pulmão e os brônquios, ainda que afete também os aparelhos superiores que compõem nosso sistema respiratório, como nariz e garganta. Seus sintomas primários são febre alta (acima de 38 ºC) e súbita, acompanhada comumente de calafrios, dor muscular (principalmente em pernas e região lombar), dor de cabeça e prostração e, em casos mais raros, dor nas articulações. Posteriormente possui os sintomas similares aos do resfriado, como tosse, dor de garganta e congestão nasal, diferenciando-se por ser mais intensa e também causar um comprometimento maior do estado geral do paciente, dando-lhe uma forte sensação de mal-estar.

Outro ponto importante para ser levado em consideração é que a gripe é sim mais grave, já que, além de apresentar sintomas mais fortes, ela costuma durar mais tempo que o resfriado (cerca de 7 a 10 dias). Além disso, caso não seja tratada, pode evoluir para pneumonia e ainda é capaz de agravar quadros anteriores que já eram existentes antes de sua aparição, como problemas cardíacos, asma ou doenças crônicas pulmonares, exemplo a doença pulmonar obstrutiva crônica.

Como ambas são infecções respiratórias podem ser, inclusive, confundidas com a Covid-19, uma vez que os sintomas iniciais são semelhantes. Além disso, tanto a gripe quanto o resfriado (e a Covid-19) são transmitidas através de gotículas de saliva dos indivíduos infectados que se dispersam pelo ar por meio de espirros, tosse, etc. e entram em contato com as vias aéreas de outros indivíduos. Além disso, em ambientes fechados sem a circulação suficiente de ar, é possível que os vírus sejam transmitidos por objetos infectados com essas gotículas.

Após a contaminação, o tratamento para ambos os casos pode ser feito através de analgesia medicamentosa com a prescrição médica de antitérmicos e outros medicamentos para ajudar a tranquilizar os sintomas, mas de toda forma, o melhor remédio para a gripe e para o resfriado é a prevenção!

Medidas simples podem se tornar um hábito e serem extremamente eficazes contra a contaminação dessas doenças. Um ótimo começo é procurar por uma alimentação balanceada, com um menor consumo de alimentos gordurosos e de mais alimentos cheios de vitaminas e minerais, como frutas e salada, já que uma boa alimentação tem influência direta no funcionamento do organismo e consequentemente na imunidade. Outro passo importante é tomar bastante água ao longo do dia, o ideal é ingerir cerca de 2,5 L diariamente.

Por serem transmitidas da mesma maneira que a Covid-19, alguns cuidados para a prevenção da gripe e do resfriado se tornaram hábitos na pandemia, mas os listamos aqui, pois são fundamentais para evitar o contágio:

  • Lavar as mãos com frequência;
  • Em falta de água e sabão, higienizar as mãos com álcool em gel 70%;
  • Utilizar lenço descartável;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoais;
  • Manter os alimentos bem ventilados;
  • Evitar o contato próximo com pessoas que apresentem sinais das doenças;
  • Ao tossir ou respirar, usar lenço de papel, ou na ausência dele, cobrir o nariz com a área interna do cotovelo, entre o braço e o antebraço.

Uma outra dica importante para finalizarmos é ressaltar a importância da vacinação contra a gripe, principalmente para idosos, crianças, gestantes e outros grupos de risco. Aderir às campanhas de vacinação é necessário tanto para proteger cada indivíduo contra a contaminação, já que a vacina ajuda nosso organismo a criar anticorpos, quanto para “desafogar” o sistema de saúde, que pode ficar sobrecarregado com epidemias de gripe durante o período frio da época.

O Gerardo Trindade está sempre com você, seja para trazer informações, seja para lhe garantir um bom atendimento e serviços de qualidade em nosso laboratório. Clique aqui para entrar em contato através do nosso Whatsapp e agendar seus exames!

Esteatose Hepática: reunimos todas as informações que você precisa sobre essa doença

A Esteatose Hepática nada mais é que o acúmulo anormal de gordura no fígado e, por mais que possa ser comum entre nichos específicos da população, está longe de ser sinal de uma boa saúde, muito pelo contrário, quando a gordura se acumula nesse órgão, é fato que algo de errado está acontecendo. Por isso, juntamos aqui todas as informações que são necessárias para você conhecer mais sobre essa doença e assim, estar atento e se cuidar.

Causas

Entre as causas para o acúmulo de gordura no fígado, um estilo de vida não saudável está presente, junto com a gravidez, sedentarismo, o uso de determinados medicamentos e a perda ou ganho de peso súbitos. Além deles, o consumo de bebidas alcoólicas pode também ser indicado como causa, ainda que aconteça de forma esporádica. Porém, quando drogas e/ou bebidas alcoólicas são consumidas constantemente, criam lesões no fígado que podem, a longo prazo, resultar no acúmulo de gordura que leve à sua falência.

Sintomas

Os principais sintomas dessa doença são dor no abdômen e a barriga inchada, causada pelo aumento do tamanho do fígado, também é comum que os pacientes sintam dores constantes de cabeça, cansaço e fraqueza diários e até mesmo a perda do apetite. Ainda, em casos graves, o paciente pode apresentar icterícia, inchaço nas pernas e pés e hemorragias.

Fatores de risco

Assim como qualquer doença, o fígado gorduroso possui seus fatores de risco, sendo os mais frequentes deles a obesidade, a diabetes mellitus, dislipidemia, hipertensão arterial e a síndrome metabólica. Ainda, também são fatores de risco o consumo de medicamentos como a amiodarona, corticosteroídes, estrógenos, e tamoxifeno, o contato com determinados produtos químicos, o uso de esteroides anabolizantes e até mesmo a realização de cirurgias abdominais, tais como bypass jejuno-ileal e derivações bilio-digestivas.

Prognóstico

A esteatose hepática pode permanecer estável por muitos anos e quando o motivo pelo qual a gordura se acumulou no órgão for encontrado, é possível reverter o quadro, controlando suas causas. Por exemplo, se a gordura estiver ali pelo consumo exagerado do álcool, cerca de seis semanas após a pessoa parar de beber, a gordura já desaparecerá.

Diagnóstico

Para a obtenção do diagnóstico, o paciente precisa realizar exames de sangue, ultrassonografias e, algumas vezes, a biópsia do fígado. Entretanto, como é necessário certo período de tempo para que o acúmulo de gordura no fígado, e em outros órgãos, seja percebido, pode acontecer de o diagnóstico vir tardiamente.

Em casos graves, a esteatose hepática pode vir acompanhada ou não de uma inflamação (esteato-hepatite), que pode, inclusive, evoluir para cicatrização (fibrose). Esta frequentemente evolui para cirrose, que compromete a função do fígado e pode o levar à falência. Justamente para evitar esse nível de gravidade é importante a ida frequente ao médico, pois quanto antes a doença for diagnosticada, mais chances de o tratamento ser efetivo.

Tratamento

Após o diagnóstico, o médico desenvolverá uma linha de tratamento que se encaixe melhor ao caso do paciente, podendo envolver a prescrição de medicamentos e os chamados recursos não farmacológicos, com o intuito de modificar o estilo de vida da pessoa, tais como uma reeducação alimentar através de dietas para o controle do peso e do consumo de alimentos prejudiciais, como bebidas alcoólicas e comidas gordurosas, a prática de atividades físicas, etc.

Como dito um pouco acima, é importante ir com frequência ao médico para a realização dos exames de check-up. Nesse caso, o Laboratório Gerardo Trindade possui pacotes de check-up específicos para cada fase da vida!

No Gerardo Trindade você tem garantia de bom atendimento e serviços de qualidade. Clique aqui para entrar em contato através do nosso Whatsapp e agendar seus exames!