Saúde da criança: a importância do laço familiar

Crescer tendo uma vida saudável depende diretamente do incentivo da família, que precisa prover um ambiente com bons hábitos alimentares e atividades físicas. Do contrário, os filhos acabarão como a maioria dos brasileiros, com um estilo de vida inadequado e ideal para o aparecimento de doenças e problemas de saúde.

Todo hábito é difícil de ser levado adiante inicialmente, mas incentivar as crianças a se preocuparem com o que comem, tanto em casa quanto na escola e na casa dos amigos, é menos complicado do que parece. Para incentivar a consciência alimentar, você pode começar dando o bom e velho exemplo! Isso é o maior fator motivador em casa, já que o famoso “faça o que digo e não o que faço” não funciona na prática. 

Mas como fazer isso? Convidando a criançada para participar ativamente das escolhas no mercado, conversando sobre os nutrientes dos alimentos, principalmente aqueles in natura, como frutas, verduras e legumes; mencionando alguns motivos para não comer ou evitar ao máximo alimentos processados e ultraprocessados e assim por diante. Pesquisar informações é válido e pode ajudar muito neste processo, já que as crianças estão cada vez mais questionadoras. Por exemplo, o Guia Alimentar para a População Brasileira define os alimentos ultraprocessados como aquelas formulações industriais feitas totalmente ou em grande parte de substância extraídas de alimentos, derivadas de constituintes de alimentos, sintetizadas em laboratório, realçadores de sabor e aditivos. É o caso do refrigerante e do macarrão instantâneo, por exemplo.

Evitar o terrorismo alimentar, ou seja, as guloseimas, opções instantâneas e alimentos cheios de açúcar é o caminho mais eficiente para uma alimentação adequada e saudável da infância à fase adulta. As crianças acabam acostumando seu paladar ao que é oferecido em casa e, sem dúvida alguma, levam essas escolhas para o futuro. Além disso, cozinhar dá mais trabalho, mas nada que um bom planejamento não resolva. Desde a lista no supermercado e feiras locais até o cardápio da semana para casa, passando pelo horário para todos se sentarem à mesa para comer, e para a lancheira das crianças. 

Quando o assunto é atividade física, o exemplo continua sendo a melhor forma de incentivo. Se você é o tipo de pessoa que conhece a importância da prática regular de exercícios físicos, mas não pratica nenhum; dificilmente seu filho enxergará a necessidade de se preocupar com isso. Além disso, aproveitar o momento das crianças é muito bacana! Elas já adoram correr, pular, brincar e se divertir. Então gastar energia pra elas não é nada, se você souber como estimulá-las!

A falta de tempo costuma ser a justificativa de muitos pais e responsáveis para unir a família na hora de praticar algum esporte, mas uma boa dica é fazer isso nos fins de semana. 

Determinar horários para isso pode ajudar no início, até que todos se organizem e façam disso um hábito. O resultado, pode apostar, será muita diversão, descontração e sorrisos. Tem coisa melhor do que aproveitar o tempo com quem se ama e ainda cuidar da saúde? Convide seus filhos para uma caminhada, aposte corrida, entre na brincadeira, lembre da bicicleta guardada na garagem e mostre que se exercitar é, sim, divertido! 

Não podemos esquecer da importância da família no desenvolvimento da criança na escola. Assim como na alimentação e na prática de algum esporte, o hábito de ter um momento para se dedicar a elas é fundamental. A criança precisa sentir que tem apoio e ele precisa vir de uma figura dentro de casa: pai, mãe, avô, avó ou outro responsável que conviva com ela. Acompanhar de pertinho os avanços e dificuldades da criançada, participando e ajudando nas tarefas faz, uma enorme diferença na confiança e desempenho dos pequenos! 

Outro importante papel da família é a conscientização da importância de vacinar as crianças. Acompanhar as campanhas de vacinação, conversar com os filhos sobre a prevenção de doenças, e reconhecê-la como uma questão de saúde pública é fundamental nos dias de hoje. 

Ao incentivar seus filhos com bons hábitos você não só estará fazendo o seu melhor, como também transmitindo valores importantíssimos e para a vida toda!

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da saúde da sua família!

Check-up de fim de ano

Você costuma fazer um check-up todo fim de ano? O período é ideal para realizar seus exames e ficar tranquilo antes, durante e depois das festas, além de evitar surpresas nas férias com a família, se for o caso. 

Desacelerar no último mês do ano é tarefa difícil, mas com um pouquinho de esforço é possível encontrar um tempo para cuidar de você. Afinal, 2020 está logo ali e, sem dúvida alguma, representa a chegada de novos sonhos e projetos. Por outro lado, antes de pensar em realizá-los é importante ter fôlego, disposição e saúde pra dar e vender!

A realização do check-up oferece segurança pra toda família – crianças, adultos e idosos – servindo como uma avaliação geral do estado de saúde, além de identificar alterações ou infecções no sangue e a presença de doenças precocemente, ainda que não haja manifestação de sintomas. 

São exames importantes nesse período: glicemia em jejum, hemograma, ureia e creatinina, ácido úrico, colesterol total e frações, triglicerídeos, TGO, TGP e GGT, TSH e T4 livre, além de urina rotina e pesquisa de sangue oculto nas fezes. E tem também a vitamina D, o cálcio, magnésio e fósforo. Mas é importante ficar atento para alguns parâmetros que ajudam a definir quais os exames adequados para o seu check-up. Idade, gestação, pós-bariátrica, excesso de peso, doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, por exemplo, devem ser levados em consideração na hora de determinar um check-up mais simples ou amplo. No nosso site você encontra um resumo que pode lhe ajudar nesse momento. Dá uma espiadinha lá!

O exame de glicemia é realizado com o objetivo de verificar a quantidade de açúcar no sangue, sendo a principal forma de identificar e monitorar a diabetes. Em muitos casos, a pessoa não está diabética, mas apresenta alterações no valor da glicose. Essas alterações podem ser equilibradas através de uma alimentação balanceada, que deve ser sempre orientada pelo seu médico, e com a prática de exercícios físicos.

O hemograma já é conhecido de todos, não é verdade? Ele é o exame usado para um balanço geral, por assim dizer. Por isso, na hora de fazer o seu balanço de 2019, não vale deixá-lo de fora. Além de ser um exame de rotina que detecta anemia e infecções, ele também pode ser indicado a partir de algumas queixas do paciente, como cansaço, fraqueza, manchas roxas em grande quantidade, sangramento intenso, entre outras. 

O exame de urina rotina, ureia e creatinina são usados para identificar disfunções nos rins, principalmente em casos de pacientes com hipertensão e diabetes. É importante reforçar a necessidade de incluir esses exames no check-up, porque ao contrário do que muitos pensam os rins não costumam apresentar sinais claros de que algo não vai bem. 

O ácido úrico também é indispensável no seu check-up de fim de ano, sendo utilizado principalmente para detectar a gota, uma doença inflamatória e muito dolorosa, que pode ser controlada com dieta e medicamentos específicos.

Chegamos aos exames de colesterol total e frações e triglicérides, usados para avaliar  o nível de gorduras no organismo. Em casos de alterações, seu médico poderá solicitar exames complementares, como proteína C reativa ultrassensível e homocisteína, para avaliar o grau de risco cardíaco, além de outros exames realizados diretamente no consultório do cardiologista.

As enzimas TGO, TGP e GGT são importantes para identificar alterações ou problemas no fígado. Quando em alta, servem de alerta!

Os hormônios TSH e T4 livre são exames usados para triagem de problemas na tireoide (hipertireoidismo e hipotireoidismo), e para acompanhamento dessas condições. 

A pesquisa de sangue oculto nas fezes é um exame extremamente importante para detectar precocemente o câncer de intestino, que é facilmente tratável quando detectado em seu início.

Vitamina D, cálcio, magnésio e fósforo são os exames que vão ajudar na avaliação da sua saúde óssea, ajudando na prevenção da osteoporose.

Outro exame simples é a dosagem de proteínas totais e frações, que ajuda a avaliar se você está consumindo proteínas na quantidade certa ou se está subnutrido. 

Não podemos esquecer do PSA para os homens, que é o principal exame para detecção precoce do câncer de próstata. Além disso, as mulheres não podem deixar de realizar anualmente o exame de Papanicolau, para detectar o câncer de colo de útero logo no início.

Ainda não fez seu check-up de fim de ano? Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde e comece 2020 com o pé direito!

Mitos e verdades sobre o HIV

HIV é uma sigla para vírus da imunodeficiência humana, que pode levar a síndrome de imunodeficiência adquirida (AIDS). Acontece que, ao contrário de outros vírus, quem tem o HIV tem que viver com essa condição permanentemente. Por outro lado, muitos mitos circundam o assunto, o que reforça a necessidade de desmistificá-los e acabar com o preconceito! 

– A transmissão acontece por contato no dia a dia

MITO: a transmissão do HIV ocorre através  de fluidos corporais, como sangue, sêmen, secreções vaginais e leite materno, não por abraços, beijos ou divisão de objetos e compartilhamento de alimentos. 

– HIV não tem cura

VERDADE: mas o tratamento impede que a pessoa chegue ao estágio mais avançado, a AIDS.

– O teste pode dar negativo e, mesmo assim, eu ter HIV

VERDADE: o teste não consegue identificar a infecção no início. Chamamos esse período de janela imunológica, quando o exame não consegue acusar a infecção, porque detecta os anticorpos que o corpo produz para se defender da infecção. Se você esteve em situação de risco há mais de 30 dias, o resultado negativo é confiável. Se esteve há menos tempo, é importante repetir o exame. 

– Posso contrair HIV fazendo uma tatuagem ou indo a manicure

VERDADE: se esses locais não utilizarem materiais descartáveis, no caso do estúdio de tatuagem, ou instrumentos esterilizados ou próprios da cliente, no caso da manicure, você pode contrair não apenas o HIV, mas também hepatite B e C.

– Se eu estiver grávida e infectada pelo vírus, meu bebê também terá HIV

MITO: a mulher que vive com HIV e faz tratamento para controlar o vírus reduz significativamente as chances de transmitir a infecção para o bebê durante a gravidez ou o parto.

– Quem tem HIV precisa contar para os amigos e familiares

MITO: a privacidade é um direito da pessoa que tem HIV. É responsabilidade de cada um cuidar da própria prevenção!

– Posso adquirir HIV pelo sexo oral

MITO: não existem dados sobre uma transmissão por sexo oral. De qualquer forma, a orientação é evitar a ejaculação na boca. 

– A camisinha é a medida preventiva mais eficaz 

VERDADE: não apenas em relação ao HIV, mas também a outras doenças sexualmente transmissíveis, além da gravidez indesejada.

Atualmente, apesar do acesso à informação, muitas pessoas carregam preconceitos e propagam fake news. Compartilhe esse post com seus amigos e familiares. 

USE SEMPRE CAMISINHA e conte com o Laboratório Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Como prevenir o câncer?

O câncer não tem uma única causa, mas o estilo de vida adotado pode aumentar consideravelmente o risco do seu aparecimento; é o que diz o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Quando falamos em câncer, muita gente se assusta e acredita que é uma doença na qual dificilmente é possível a prevenção, já que existem os fatores genéticos. Acontece que o estilo de vida é o aspecto mais importante para ficar de olho! 

Existem alguns pilares importantes na prevenção do câncer em geral, eles se apoiam na prevenção primária, ou seja, evitar a exposição a fatores de risco – tabagismo, obesidade, sedentarismo – e adotar hábitos saudáveis:

Não fumar: essa é a recomendação nº 1 do combate ao câncer para prevenir o câncer. Isso porque a fumaça liberada pelo cigarro tem mais de 4.700 substâncias tóxicas e cancerígenas que são inaladas por fumantes e não fumantes.

Não ingerir/evitar bebidas alcoólicas: não há dose segura de álcool. Seu consumo, em qualquer quantidade, é o principal fator de risco para o desenvolvimento de tumores na cavidade bucal, esôfago, fígado, reto e possivelmente mama, principalmente se o uso for combinado com o tabaco.

Ter uma alimentação saudável: hoje em dia é difícil não ter acesso a essa informação, já que uma alimentação saudável previne não só o câncer, mas uma série de doenças. Acontece que grande parte da população ainda recorre a alimentos processados – alimentos em calda ou conserva, além de carnes como presunto, salsicha, bacon, entrte outras –  e ultraprocessados, como sucos em pó, salgadinhos, entre outros. Isso pode ser explicado pela famosa ‘correria’ contemporânea, mas pensando um pouco melhor: será que não vale a pena buscar mais tempo agora para evitar o tempo de cuidar de uma doença, como o câncer, depois? Por isso, dê preferência para alimentos in natura, de origem vegetal, como frutas, verduras, legumes, cereais integrais e leguminosas e evite esses alimentos que passam por diversos processos industriais até chegar aos supermercados e, finalmente, até a sua mesa. Evite também o consumo de carnes processadas, elas possuem conservantes (nitritos e nitratos), que podem provocar o surgimento de câncer de intestino, cólon e reto. 

Praticar exercícios físicos regularmente: o peso não é apenas uma questão estética, mas principalmente de saúde. Estar acima do peso aumenta e muito as chances de desenvolver diversos tipos de câncer. Muito embora os serviços contratados, como academia, ginástica, natação, entre outros, sejam uma opção, tente não usar isso como uma constante desculpa para o sedentarismo. Caminhar e correr é de graça e faz um bem sem igual não só para a manutenção do peso, mas também para o bem-estar físico e mental!

Amamentar: esse ato de nutrir o bebê com o único alimento que ele precisa até os seis meses de vida, protege as mamães contra o câncer de mama e as crianças contra a obesidade infantil. 

Evitar a exposição solar entre 10h e 16h: nesse período há maior índice de radiação UVB, que provoca queimaduras e é o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele. Apesar dessa orientação é comum encontrar praias e piscinas cheias nesse horário. Falta conscientização de verdade! Só se exponha nesse horário, sempre com o uso de protetor solar, se for inevitável: use chapéu ou boné, camisa de manga longa e calça comprida. 

Manter os exames em dia: junto com os hábitos saudáveis, essa é a melhor forma de prevenir o câncer ou diagnosticá-lo precocemente.

Quando o assunto é saúde não há espaço para brincadeiras, postergações ou negligência. Comece a mudar de hábitos e você verá não apenas uma melhora no seu estado de saúde geral, como também lá na frente ganhará a oportunidade de viver melhor e por mais tempo, sem esse grande mal, o câncer.

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Dicas para controlar sua diabetes

Dezesseis milhões de brasileiros sofrem de diabetes, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Ainda segundo esses dados, a taxa de incidência da doença aumentou 61,8% nos últimos dez anos, o que é muito grave!

Antes de tudo, é importante saber exatamente do que se trata a doença. A diabetes é uma síndrome metabólica que ocorre pela falta de insulina ou pela incapacidade dela exercer sua função da forma correta, gerando aumento da glicose (açúcar) no sangue. 

Existem três tipos de diabetes, a chamada pré-diabetes, quando uma pessoa tem potencial para desenvolver a doença; a diabetes tipo 1, quando o pâncreas perde a capacidade de produzir insulina; e a diabetes tipo 2, quando ocorre a diminuição da insulina e um defeito na sua ação, também chamado de resistência à insulina. O tipo 1 apresenta sintomas clínicos, como aumento de frequência urinária, sede, fome, perda de peso, infecções recorrentes e cansaço. Já o tipo 2 é assintomático, o que alerta a importância de manter os exames em dia. 


Imagem | Quando uma pessoa sem diabetes faz uma refeição x Quando uma pessoa com diabetes faz uma refeição 

Quando você controla a doença com uma dieta adequada, atividades físicas, medicamentos, além das aplicações de insulina (se este for o caso), é possível evitar complicações. 

Hoje, dia mundial do controle da diabetes, trazemos algumas dicas para ajudar você a viver com mais qualidade de vida! 

✔️ O controle glicêmico é o principal cuidado: a taxa de glicose deve estar entre 80 e 130 em jejum, de maneira geral. Após as refeições, essa taxa deve estar entre 160 e 180;

✔️ Dieta: o cumprimento da dieta alimentar adequada é fundamental para evitar o aumento da taxa de glicemia e outras complicações. 

Comer alimentos ricos em fibras e evitar alimentos ricos em gordura e açúcar em todas as refeições é a principal medida para aprender a conviver com a diabetes. Por isso, devem fazer parte da sua rotina: carboidratos complexos (pão, massas, bolos ou biscoitos integrais); cereais integrais (chia, linhaça, etc); legumes; frutas (maçã, pera, laranja, uva, melancia, melão – sempre com casca); queijo branco; leite e iogurte desnatados; adoçante stévia e carnes magras. 

Outra dica é comer sempre em pequenas porções, no mesmo horário e evitar ficar muitas horas sem se alimentar! 

Quando for consumir algum tipo de fruta é importante que isso seja feito depois de uma refeição principal, como almoço e jantar, nunca isoladamente. Esse cuidado deve ser tomado porque as frutas têm açúcar, e não só a frutose. Além disso, reforce o hábito de não beber sucos da fruta. Os sucos precisam ser evitados, porque tem uma absorção muito rápida do açúcar. 

✔️ Atividade física: você já deve ter ouvido falar que a prática regular de atividade física previne uma série de doenças e serve como controle de muitas. Pois é, não é diferente com a diabetes. O exercício físico, nesse caso, é mesmo um santo remédio! Ele estimula a produção de GLUT-4, uma proteína que recolhe a glicose que sobra no organismo para jogá-la dentro da célula. Assim, você precisa de menos insulina para absorver o açúcar! Além disso, praticar atividades físicas é muito benéfica para evitar complicações na diabetes tipo 2, como hipertensão, obesidade e aumento do colesterol. Então fica aqui o lembrete: não relaxe e movimente o corpo, do contrário a glicemia voltará a subir!

Alguns cuidados durante e depois da prática: 

– Hidrate-se muito bem;

– Meça a glicemia a cada hora;

– Coma algum tipo de carboidrato, vale uma barrinha de cereal;

– Quando terminar, verifique sua glicose para evitar uma hipoglicemia tardia;

– Os exercícios diminuem sim a glicemia, mas em hipótese alguma reduza a dose do seu medicamento por conta própria!

✔️ Acompanhamento médico: a realização de exames e o acompanhamento médico são essenciais para diagnosticar e monitorar a diabetes! 

EXAMES A SEREM REALIZADOS PERIODICAMENTE

Glicemia: mede as taxas de açúcar no sangue;

Hemoglobina glicada: investiga as células do sangue e define a média da glicose do trimestre;

Glicemia pós-prandial: avalia o nível de glicose depois de uma refeição (ideal para ajustar doses de remédio);

Frutosamina: estuda as proteínas no sangue e define a média de glicose de 2 semanas. 

Ter diabetes não é viver com restrições, mas aprender a compreender o que acontece no seu corpo e se importar um pouquinho mais com os seus hábitos!

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!


Saúde do homem

A saúde e o bem-estar de qualquer pessoa está intimamente relacionada aos seus hábitos. Quando o assunto é saúde do homem o mesmo acontece, mas com a diferença de que eles ainda procuram menos os médicos do que as mulheres e vivem, em média, sete anos a menos. 

Preconceito, questões culturais e medo permeiam essa baixa procura em relação a prevenção de doenças, diagnósticos e tratamentos. Por outro lado, este mês – Novembro Azul – o assunto ganha destaque não apenas no que diz respeito ao câncer de próstata*, mas a saúde de forma geral. 

Os homens também são mais propensos a doenças como diabetes, hipertensão, câncer, além de doenças cardiovasculares. Por isso, a prevenção é um aspecto fundamental para uma vida saudável, leve e feliz. Uma alimentação equilibrada, aliada à prática regular de atividades físicas, exclusão do álcool e cigarro, além de um check-up anual, são fundamentais para isso! 

Os exames laboratoriais de rotina continuam valendo, mas destacamos aqui uma maior necessidade em relação aos cuidados com o coração, fígado e o câncer de próstata. Por isso, são recomendados exames para verificar o perfil lipídico, a glicemia e, em casos de homens com fatores de risco de infarto elevado, dosagem de Proteína C reativa ultrassensível, APO-A1 e APO-B. Em relação a saúde hepática, outro aspecto importante na saúde dos homens, são recomendados exames para medir a elevação das enzimas TGO, TGP, GGT, pois elas indicam se há ou não algum tipo de lesão no fígado. A dosagem de proteínas totais, assim como a albumina, também verificam a saúde do fígado! 

As doenças sexualmente transmissíveis também merecem atenção! Testes para diagnosticar  o HIV, a hepatite B (HBsAg) e o vírus da hepatite C (anti-HCV) podem fazer uma enorme diferença na sua saúde! Mais importante do que os testes é o cuidado que antecede a relação sexual, tenha sempre uma camisinha com você e, em hipótese alguma, deixe de usá-la. Essa decisão pode mudar completamente a sua vida!

Não podemos esquecer do PSA, o antígeno prostático específico, que é feito através da coleta de sangue e serve para identificar a presença do câncer de próstata em homens assintomáticos, além de evitar a realização de biópsias sem necessidade. 

Reforçamos que o diagnóstico precoce de doenças aumenta as chances de tratamento! Por isso, se você é homem e está lendo esse post, adote uma postura proativa em cuidar de quem mais importa: você!

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

*Todo ano, o câncer de próstata atinge o equivalente a um estádio de futebol lotado. Fonte: Inca: 68.220 novos casos 2018-2019


Check-up na gravidez: o que você precisa saber

A gravidez é um momento intenso e memorável na vida da mulher e de toda família, mas esse momento especial pede atenção à altura já que a mãe passa por uma série de transformações ao longo dos nove meses de gestação.

De repente, você descobre um lado passional que nunca pensou que tinha. As lágrimas e o choro desenfreado aparecem, reflexo das mudanças no seu organismo. Os olhos marejados estão lá, firmes e fortes (ou quase isso).

A boca, que era super saudável antes da gravidez, parece mais fragilizada e a gengivite pode aparecer e surgir até sangramento gengival. Isso se deve à elevação da progesterona na gestação. A mamãe deve redobrar os cuidados com a higiene bucal e fazer visitas periódicas ao dentista nessa etapa.

Os quilinhos a mais também dão as caras, o ideal é que a mais nova mamãe engorde de 8 a 12 quilos. Náusea e vômitos, sobretudo pela manhã, os famosos enjoos matinais, são comuns. Isso pode ser decorrente dos níveis elevados de estrogênio e gonadotrofina coriônica humana, dois hormônios que ajudam a manter a gestação. Tudo isso e mais um pouco faz parte do pacotinho mais lindo e amado, chamado gravidez!

A lista continua, filtro solar é fundamental devido à maior produção de melanina na pele, que pode causar os tão temidos melasmas no rosto!  As pernas e pés ficam mais inchadas e pedem mais descanso. O sono e cansaço às vezes parecem desproporcionais, mas lembre-se: você está gerando um ser e todo esse desconforto é passageiro!

Você também vai se dar conta de que os seus cabelos ganharam mais vida. Gratidão aos hormônios progesterona e estradiol. A progesterona irá aumentar o ritmo de crescimento do cabelo e o estradiol, por sua vez, a produção das glândulas sebáceas. Dessa forma, o fio tende a ficar mais oleoso e macio.

Quando o assunto é gravidez, as descobertas e transformações parecem não ter fim, não é verdade? Pois é, o acompanhamento, a orientação e a realização de exames solicitados pelo seu médico são imprescindíveis durante esse período para detectar e acompanhar problemas de saúde que podem colocar em risco a saúde da mamãe, como a diabetes gestacional e hipertensão arterial. É importante dar atenção a esta última,  que pode levar à eclampsia, se não for controlada, e também doenças infectocontagiosas que podem ser passadas ao bebê se não forem devidamente controladas ou tratadas durante a gravidez, como a sífilis, o HIV e outras.

E tem exame especial para a mamãe que está ansiosa para saber o sexo do bebê e já dar início à preparação do enxoval: sexagem fetal! Com apenas 8 semanas de gestação, um simples exame de sangue já consegue detectar se é menino ou menina!

Confira os principais exames laboratoriais para realizar durante a gestação!

👶 Hemograma: é útil para detectar, principalmente, anemias e infecções;

👶 Tipagem sanguínea: se a gestante for Rh negativo é importante que ela, logo após o parto, receba soro anti-D para evitar que em uma gravidez futura haja produção de anticorpos contra as hemácias do feto;

👶 Glicemia em jejum e pós-dextrosol: avaliam o nível de glicose (açúcar) no sangue e detectam/monitoram a diabetes gestacional. Filhos de mamães diabéticas têm maior probabilidade de se tornarem adultos diabéticos;

👶 TSH e T4 livre: avaliam a tireóide da gestante. O hipotireoidismo da mamãe na gestação pode afetar discretamente o sistema neurológico do bebê;

👶 Urina rotina, uréia e creatinina: avaliam a função renal;

👶 Urocultura: identifica a presença de bactérias, responsáveis por infecções urinárias muito frequentes nas gestantes;

👶 Proteinúria: indicado para gestantes com hipertensão para avaliar se está havendo dano aos rins;

👶 Toxoplasmose IgG e IgM: identificam se a gestante já teve contato com o protozoário Toxoplasma gondii, que pode causar doenças congênitas na criança, inclusive cegueira, surdez e danos ao sistema nervoso;

👶 Rubéola IgG e IgM: identificam se a gestante já teve contato com o vírus da rubéola, que pode causar doenças congênitas no feto, inclusive cegueira, surdez, problemas cardíacos, retardo mental, entre outras doenças;

👶 VDRL e FTA-ABS: avaliam a imunidade da gestante contra a bactéria Treponema pallidum, causadora da sífilis. A sífilis pode provocar aborto espontâneo, parto prematuro e sífilis congênita, com alterações oculares e auditivas, além de retardo mental;

👶 HIV, anti: a detecção precoce do HIV é importante para evitar a transmissão do vírus à criança pela mãe, que, se soropositiva, já deve iniciar o tratamento na gestação;

👶 HCV, anti: a transmissão do vírus da mãe para o filho ocorre em cerca de 5 a 6% das gestações, geralmente em mães soropositivas para HIV também. A detecção do HCV na mãe é importante para o acompanhamento da criança após o parto;

👶 Citomegalovírus IgG e IgM: identificam se a gestante já teve contato com o citomegalovírus, que pode provocar abortos espontâneos;

👶 HBsAg: identifica de forma precoce a hepatite B. O vírus da hepatite B não causa doenças congênitas, mas é indicada a vacinação do recém-nascido de mães soropositivas para hepatite B antes da amamentação. O objetivo é evitar uma possível infecção da criança!

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!


Vitamina D e Osteoporose

Nos últimos anos o número de pessoas com deficiência da vitamina D tem aumentado, isso se explica pela falta de exposição ao sol ou alimentação inadequada e, em alguns casos, ambas situações.

A vitamina D é fundamental para o nosso organismo, principalmente na prevenção da osteoporose, mas será que você conhece um pouco mais a fundo essa grande aliada da saúde? Suas principais funções são regular a absorção de cálcio e fósforo no organismo, manter o cérebro funcionando, fortificar ossos, além de dentes e músculos.

Quando saudáveis, os ossos promovem a sustentação do corpo, além de oferecerem apoio para diversas funções como batimentos cardíacos e força muscular. Nesse contexto, cada osso passa por um processo de destruição e reconstrução. O objetivo é  manter a massa óssea estável, garantindo o que foi mencionado anteriormente. Acontece que, na falta de “combustível” (cálcio e vitamina D), por assim dizer, ocorre um desequilíbrio nesse processo. A remodelação dos ossos não consegue acompanhar a velocidade da absorção, deixando os ossos frágeis. É quando ocorre a osteoporose, ou seja, a destruição supera a reconstrução.  

Imagem: osso normal e osso com osteoporose

Além da osteoporose, baixos níveis da vitamina são associados ao maior risco de desenvolver outras doenças, incluindo alguns tipos de câncer, esclerose múltipla e doenças cardiovasculares.

Como a vitamina D não é produzida pelo corpo é fundamental ter uma alimentação saudável e equilibrada, que privilegie alimentos ricos em cálcio como peixes – principalmente sardinha e salmão – carnes, leite e derivados, castanhas, nozes, feijão e vegetais verde-escuros, como couve e espinafre, que ajudam a manter seu nível adequado. 

A exposição solar, ao contrário do que a maioria das pessoas acredita, deve ser feita em poucos minutos, dez é o suficiente, sem o uso de protetor solar. Para isso, o seguro é aquele horário mais cedinho, antes das 10h. Dessa forma, atividades diárias, como ir a pé para o trabalho ou fazer uma caminhada, já são o suficiente para absorver a vitamina D. Isso é, se você não faz parte do grupo de pessoas que possui doença celíaca, doença inflamatória intestinal ou não faz uso de medicamentos que afetam o processo de conversão da vitamina D em uma forma utilizável pelo organismo. Por isso é importante consultar seu médico e manter os exames em dia!

Em relação aos sintomas, depende muito do indivíduo. No geral, se você possui deficiência de leve a moderada pode ou não apresentar sintomas como: fraqueza muscular, dor no quadril, dificuldade para caminhar, subir escadas, se levantar ou se deitar, fraturas e quedas. Os idosos, nesse sentido, merecem uma atenção especial!

A deficiência de vitamina D é diagnosticada através do exame de  25(OH)D. O nível de insuficiência de referência varia entre 21-29 ng/mL.

Mantenha seus exames em dia, conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Relação obesidade x câncer

O número de pessoas obesas têm crescido rapidamente, o que torna a doença um assunto de saúde pública. Na população adulta, por exemplo, 12,5% dos homens e 16,9% das mulheres enfrentam a obesidade e cerca de 50% tem sobrepeso. Como se não bastasse, a doença está relacionada a diversos tipos de câncer.

As causas da obesidade são diversas, entre elas estão os fatores genéticos, o metabolismo lento, o que favorece o acúmulo de gorduras e dificulta o emagrecimento, o sedentarismo e a alimentação inadequada, pobre em nutrientes e rica em gordura, além de fatores psicológicos, que podem desencadear crises de compulsão alimentar. No entanto, a alimentação inadequada e o sedentarismo costumam ocupar o ranking das causas da doença.

Se os hábitos não contribuem para prevenir a doença, as consequências são preocupantes. O acúmulo de gordura favorece uma série de complicações e a relação de doenças associadas chega a causar arrepios: hipertensão, colesterol e triglicérides nas alturas, sobrecarga do fígado (que acumula gordura), infarto, AVC (acidente vascular cerebral), síndrome dos ovários policísticos (SOP), além de diversos tipos de câncer, como o câncer de estômago, cólon, reto, vias biliares, pâncreas, esôfago, mama, endométrio, ovário, rim e mieloma múltiplo. Sem falar nos prejuízos emocionais, como depressão ou ansiedade. 

A boa notícia é que adotando hábitos saudáveis, em que a alimentação saudável e os exercícios físicos sejam protagonistas, você não só estará reduzindo as chances de desenvolver a doença como também impactando positivamente outros fatores de risco. 

A prevenção, portanto, deve ser feita desde a infância e mantida até o final da vida. Pais e familiares têm um papel fundamental nesse aspecto, já que são responsáveis pelos exemplos às crianças em casa e na rua.

É imprescindível salientar que as crianças não aprendem com o que é dito, mas com o exemplo mostrado. Mesmo que você não tenha sobrepeso precisa demonstrar uma preocupação com esse aspecto em questão, só assim seu filho crescerá consciente da responsabilidade que tem em relação à própria saúde. Além disso, o rastreamento em crianças e adolescentes com excesso de peso deve ser feito periodicamente a partir da glicemia de jejum, perfil lipídico (colesterol total, LDL, HDL, triglicerídeos) e TGP ou ALT (alanina aminotransferase). Dependendo do resultado desses exames ou da necessidade clínica, são solicitados outros exames.

O diagnóstico é feito através do cálculo de IMC (índice de massa corpórea), responsável por avaliar a relação entre o peso e a altura. Os parâmetros utilizados para essa análise são:

💙  ​​IMC abaixo de 18,5 – Abaixo do peso

💙  IMC entre  18,5 e 24,9 – Peso normal 

💙  IMC entre 25 e 29,9 – Sobrepeso

💙  IMC entre 30 e 34,9 – Obesidade Grau I 

💙  IMC entre 35 e 39,9 – Obesidade Grau II

💙 IMC acima de 40 – Obesidade Grau III

Independente da histórica clínica e do exame físico, é importante que adultos também mantenham os exames em dia para possíveis alterações relacionadas à doença. 

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Saúde da Mulher – Outubro Rosa

A mulher moderna desempenha inúmeros papéis em casa, no trabalho e na sociedade. Por isso mesmo, ainda que ela sinta que tudo está em ordem, é importante separar um tempo para cuidar da saúde.

A correria do dia a dia costuma ser uma das justificativas para a não realização de exames, mas se você pensar que o ano tem 365 dias e bastam alguns dias ou, no máximo, uma semana para fazer um check-up e outros exames solicitados pelo seu médico, fica mais fácil otimizar seu tempo e ficar com a saúde em dia! 

O mês de outubro é dedicado a prevenção do câncer de mama, o tipo mais comum depois do câncer de pele não melanoma. Só para este ano ano foram estimados 59.700 casos novos, o que representa uma taxa de incidência de 51,29 casos por 100 mil mulheres. A realização do check-up anual é muito importante para detectar doenças silenciosas, identificar a melhor forma de tratamento e, dependendo do caso, aumentar as chances de cura. No caso de câncer de mama, com o diagnóstico precoce, essas chances chegam a 95%.

Além do check-up anual que inclui exames laboratoriais, exames ginecológicos e mamografia, é importante ter em mente que bons hábitos continuam sendo um importante fator de proteção. São eles: praticar atividades físicas regularmente, ter uma alimentação saudável, ter o peso adequado, não fumar ou ingerir bebidas alcoólicas, além de evitar o uso de hormônios sintéticos em altas doses. 

Conhecer o próprio corpo e ficar de olho em possíveis alterações é outro ponto importante da prevenção e diagnóstico precoce. O autoexame pode ser feito uma vez por mês, todos os meses, entre 3 e 10 dias após o aparecimento da menstruação, na frente do espelho, em pé e deitada:

Na frente do espelho, o autoexame deve ser feito com os braços abaixados, levantados e dobrados atrás do pescoço, avaliando o tamanho, a forma e a cor, além de inchaços, saliências e rugosidades nas mamas.

Em pé e deitada, com os braços atrás da cabeça, passe os dedos nas mamas em movimentos circulares; depois em linhas retas em direção ao mamilo e, por último, em linhas retas para cima e para baixo. Pressione os mamilos suavemente e observe se existe a saída de um líquido. Ao notar qualquer alteração nas mamas (ilustradas abaixo), independente da idade, busque orientação médica!

Imagem: sintomas do câncer de mama 

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde! 

Página 1 de 12