Filtro solar: pele protegida no verão

Você sabia que os cânceres de pele correspondem a 27% dos casos da doença no país? A informação é do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Por outro lado, é um câncer que pode ser evitado com medidas muito simples – aquelas que todo mundo já conhece, mas grande parte ainda não coloca em prática. 

Proteger a pele diariamente, principalmente no verão, deve ser uma preocupação de todos. Além disso, não há nada difícil de ser realizado. Os principais cuidados são: usar filtro FPS igual ou superior a 30, reaplicando o produto a cada duas horas ou sempre que sair da água ou suar; evitar a exposição solar entre 09h e 15h; dar preferência às roupas de algodão; usar chapéu ou boné; cuidar da saúde dos olhos usando óculos de sol com proteção UV. 

Vale destacar que todos os tipos de pele sofrem com a exposição solar. É evidente que a pele branca sente com mais intensidade, mas todas precisam de cuidados. A pele negra tem mais melanina, mas ainda sim queima. É importante usar produtos adequados para o seu tipo de pele, a fim de minimizar a ação dos raios ultravioleta. 

Um assunto que merece destaque é o bronzeamento. Segundo a SBD não existe bronzeamento saudável, já que o tom da pele muda por causa de uma inflamação e a tendência é que, com o tempo, haja perda da capacidade de regeneração. Por isso, o melhor horário para pegar sol é pela manhã.

FPS: o que significa realmente essa sigla?

É muito comum que as pessoas pensem que o FPS seja definido conforme a quantidade de raios solares que o protetor inibe, mas o número na verdade indica o tempo que o filtro solar mantém sua pele protegida. Imagine que sua pele sem proteção demore dez minutos para sofrer os efeitos dos raios solares. Ao aplicar um FPS 30, esse tempo aumenta para trinta vezes, ou seja, passa a ser 300 minutos. No entanto, esse fator de proteção só funciona se o filtro solar for usado corretamente: antes de expor ao sol e sendo reaplicado a cada duas horas ou sempre que houver suor na pele. 

Vale lembrar que os bebês já podem e devem usar filtro solar a partir dos seis meses de idade, consulte o pediatra e dermatologista!

Quando falamos em pele protegida e saudável também estamos falando de estar atento aos sinais que ela dá. Fique de olho nas pintas, manchas e mudanças de cor, formato e tamanho e consulte seu dermatologista de confiança regularmente!

Aproveitar o verão é um direito de todos, mas é preciso cuidar devidamente da pele para mantê-la bonita e saudável por muitos verões!

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Vacinas para covid-19: entenda como irão funcionar os diversos tipos em desenvolvimento

Todos os anos, as vacinas impedem cerca de 2 a 3 milhões de mortes, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Desde o ano passado pessoas do mundo inteiro estão ansiosas pela vacinação da covid-19. 

Atualmente, temos quatro vacinas em teste no Brasil. Entretanto, vale reforçar que isso não significa que as máscaras poderão ir para o lixo tão cedo. Cientistas alertam que o uso de máscaras e os cuidados, já amplamente divulgados, devem continuar!

Imagem: mapa de vacinas em teste no Brasil: Ministério da Saúde 

Essas quatro vacinas foram autorizadas pela Anvisa para desenvolvimento no país, após avaliação das condições de resposta às necessidades regulatórias, no caso de eventual registro no futuro, e à segurança dos participantes envolvidos. Vale ressaltar que,  quando o desenvolvimento clínico de uma vacina é inteiramente conduzido no exterior, não há a obrigatoriedade da anuência prévia, por parte da Anvisa, aos estudos clínicos. Porém, o registro permanece sendo necessário.  

No quadro apresentado, é possível observar que algumas das vacinas preveem transferência de tecnologia. Essa questão é importante para que a produção da vacina seja completamente internalizada e se torne nacional. Ou seja, a transferência de tecnologia está diretamente relacionada à autossuficiência do país na produção da vacina.  

Os pesquisadores estão recorrendo a várias tecnologias, algumas delas nunca usadas anteriormente em vacinas. Todas as vacinas, porém, expõem o indivíduo a um antígeno (substância que, uma vez introduzida no organismo, é capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico). Embora esse antígeno não cause a doença, ele provoca uma resposta imune que pode bloquear ou matar o vírus quando o indivíduo é exposto a ele. 

A anuência dos estudos clínicos realizados no Brasil está condicionada a quatro aspectos principais: (1) dados de segurança; (2) delineamento do estudo proposto; (3) dados de produção e controle de qualidade; e (4) boas práticas clínicas. Os dados de segurança já devem ter sido gerados em estudos anteriores,  para garantir a segurança da respectiva vacina, e são checados pela equipe responsável pelas análises. O delineamento do estudo avalia a robustez científica (quantidade de voluntários e faixa etária a ser estudada, abordagem estatística, parâmetros que garantam resultados de eficácia e segurança, entre outros).  

Os dados de produção e controle de qualidade visam identificar as características de qualidade da vacina em estudo, por exemplo, as condições técnico-operacionais do local de fabricação. Já as boas práticas clínicas tratam de assegurar a confiabilidade do estudo, ou seja, verificam questões como a experiência dos centros de pesquisa executores e as condições no sentido de garantir a geração de resultados rastreáveis e confiáveis, além das ações a serem adotadas para monitorar a execução do estudo. 

Para avaliação das propostas de estudo, e eventual registro de vacinas contra a Covid-19, foi instituído um comitê de especialistas composto por 10 profissionais rotativos. Dessa forma, as responsabilidades são compartilhadas e as decisões podem ser tomadas com mais segurança. Essa equipe multidisciplinar – formada por farmacêuticos, médicos, biólogos e estatísticos – avalia os quatro aspectos de forma minuciosa e, ao mesmo tempo, célere. Para se ter uma ideia da qualidade do corpo técnico desse comitê, todos os profissionais que fazem essas análises têm, no mínimo, 10 anos de experiência na avaliação de protocolos de estudo e registro de vacinas.  

Depois que o estudo é anuído, ou seja, após receber a autorização para desenvolvimento, a Anvisa monitora seu progresso e os resultados gerados. Isso é feito a partir de trocas de informações e comunicação frequente com os pesquisadores e patrocinadores do estudo. Esse acompanhamento permite, por exemplo, que a Anvisa interrompa um estudo em casos de eventos adversos graves. E o trabalho da Anvisa não para por aí. Mesmo depois do registro de uma vacina, a área de farmacovigilância da Agência recebe e trata os dados relacionados ao desempenho da vacina. Fonte: Ministério da Saúde.

Como a vacinação protegerá a população?

Quando um número suficiente de pessoas é vacinada são criados diversos escudos invisíveis que interrompem a cadeia de transmissão patógeno (vírus da Covid-19), protegendo indiretamente amigos e familiares vulneráveis. Isso é chamado às vezes de imunidade de grupo ou imunidade de rebanho.

Acontece que até que tenhamos vacina suficiente para ir além da vacinação de grupos de risco contra a covid-19 e atingir uma grande proporção da população, segundo os cientistas, o distanciamento social não chegará ao fim. Atualmente, o plano global de imunização indica que aqueles que correm mais risco e os profissionais de saúde receberão primeiro o número limitado de doses de vacina disponíveis.

Enquanto aguardamos é imprescindível não relaxar com a higiene das mãos, distanciamento social e higiene da casa, como limpeza de superfícies, sapatos e roupas que vem da rua, além das embalagens e produtos comprados em supermercados. 

Todos juntos contra a covid-19!

Check-up anual: entenda qual é o mais adequado para você

Você costuma fazer um check-up anual? Além do diagnóstico, os exames laboratoriais assumem um papel de protagonismo no acompanhamento da gestação, por exemplo, e de doenças crônicas. Na aterosclerose, por exemplo, que ocorre quando há um acúmulo de placas de gordura, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias, é fundamental ter o controle dos índices de colesterol para averiguar se a doença está sob controle ou evoluindo. No caso da diabetes, por exemplo, esse acompanhamento é feito a partir da avaliação dos níveis de açúcar, como a hemoglobina glicada e a glicemia em jejum e assim por diante.

Para cada pessoa, de acordo com sua idade, sexo, histórico familiar e estilo de vida, existe um check-up mais indicado. O diagnóstico precoce e o acompanhamento de doenças crônicas podem salvar vidas!

Mulheres grávidas precisam ter uma atenção especial à rotina de saúde, seguindo todas as orientações do médico. A diabetes gestacional e a hipertensão arterial, por exemplo, são doenças que precisam ser acompanhadas com muito cuidado depois de diagnosticadas através dos exames. Além disso, doenças infectocontagiosas (sífilis, HIV, entre outras) precisam ser descartadas ou, se for o caso, diagnosticadas para que haja o controle sobre elas durante todo período da gestação. 

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Transformando resoluções de ano novo em um 2021 mais feliz

Quais objetivos e sonhos você alcançou neste ano? Foi um ano desafiador em todos os sentidos, sem dúvida alguma, mas com certeza houve crescimento em muitos aspectos também. Do ponto individual e coletivo foi possível aprender uma série de lições sobre o que realmente importa: saúde, família e amigos! 

Chegamos ao fim de mais um ano. Daqui pra frente só podemos desejar que 2021 seja um ano mais leve e que nossa motivação e nossos sonhos sejam renovados! Por outro lado, para que isso aconteça efetivamente, é importante tirar as resoluções de ano novo do papel. Já fez sua lista?

Entra ano e sai ano e parece que para uma grande parte das pessoas as resoluções só saem do plano das ideias pela metade. Isso acontece com você? Aí vão alguns aspectos que podem orientá-lo melhor sobre suas metas: 1: aspecto mensurável; 2. aspecto realista; 3- aspecto simples. 

Planejar ser feliz, por exemplo, é muito vago. O caminho mensurável, realista e simples, por sua vez, é descobrir de que forma você será feliz em 2021: fazendo uma viagem, investindo na sua formação, encontrando um hobbie, trocando de emprego, e assim por diante. Por que fazer isso? Porque só assim você saberá o que está medindo e qual régua está usando. Acredite, as pequenas vitórias ficarão mais fáceis!

Ser pouco realista, por sua vez, pode causar frustração e desânimo. Imagine que você quer ter um corpo malhado e definido, mas não caminha nem meia hora por dia ou tem uma alimentação saudável e balanceada. Você atingirá esse objetivo se tiver uma rotina para que isso ocorra a longo prazo. Da mesma maneira, se você sonha com o seu apê próprio você pode, sim, conquistar esse objetivo se tiver um dinheiro guardado. Por outro lado, isso será um pouco difícil se o seu porquinho estiver vazio. 

Resoluções que você pode realizar sozinho são muito bem-vindas, porque carregam outro aspecto facilitador para ser feliz em 2021: metas simples: ter uma alimentação mais saudável, parar aos poucos com refrigerantes, trocar os móveis da sala ou as cores do apartamento, comprar algo que você deseja muito e assim por diante.

Ter em mente que sua felicidade está nas suas mãos é a melhor maneira de ter um bom ano, porque mesmo que você seja surpreendido com algo que não pode controlar – como houve este ano – você encontrará outras maneiras de ser feliz. Reinventar-se é preciso! 

Comece definindo suas metas, faça uma lista de resoluções, planeje com calma, tranquilidade, simplicidade e uma boa dose de realismo, sem abrir mão dos seus sonhos! 

“O correr da vida embrulha tudo; a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem!” Guimarães Rosa

Tenha coragem para ser feliz em 2021, só depende de você!


O Aedes aegypti não está de férias

Com a pandemia é natural que a maior preocupação da população seja o coronavírus, mas outras doenças devem ser levadas em consideração. O Aedes aegypti, transmissor da dengue, é muito comum no verão, o que reforça a necessidade de ficar atento aos possíveis focos na sua casa, prédio, condomínio e vizinhança!

Em média, cada mosquito vive em torno de 30 dias e a fêmea chega a colocar entre 150 e 200 ovos. Se forem postos por uma fêmea contaminada pelo vírus da dengue, ao completarem seu ciclo evolutivo, transmitirão a doença.

Os ovos não são postos na água, e sim milímetros acima de sua superfície, principalmente em recipientes artificiais. Quando chove, o nível da água sobe, entra em contato com os ovos que eclodem em pouco menos de 30 minutos. Em um período que varia entre sete e nove dias, a larva passa por quatro fases até dar origem a um novo mosquito: ovo, larva, pupa e adubo.

O Aedes aegypti põe seus ovos em recipientes como latas e garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, pratos sob vasos de plantas ou qualquer outro objeto que possa armazenar água da chuva. O mosquito pode procurar ainda criadouro naturais, como bromélias, bambus e buracos em árvores.

Como eliminar os focos?

1 – Se você não colocou areia e acumulou água no pratinho de planta, lavá-lo com escova, água e sabão. Fazer isso uma vez por semana.

2 – Lavar principalmente por dentro com escova e sabão os utensílios usados para guardar água em casa, como jarras, garrafas, potes, baldes etc.

3 – Embale para recolhimento todas as garrafas pet e de vidro vazias que não for usar. As garrafas de vidro não descartadas devem ser guardadas de boca para baixo ou em local coberto.

4 – Se você tiver vasos de plantas aquáticas, trocar a água e lavar o vaso principalmente por dentro com escova, água e sabão pelo menos uma vez por semana.

5 – Jogar no lixo todo objeto que possa acumular água, como embalagens usadas, potes, latas, copos, garrafas vazias etc.

6 – Remover folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas.

7 – Manter a caixa d’água sempre fechada com tampa adequada.

8 – Colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira bem fechada. Não jogar lixo em terrenos baldios.

9 – Não deixar a água da chuva acumulada sobre a laje.

10 – Manter bem tampados tonéis e barris de água.

11 – Encher de areia até a borda os pratinhos de vasos de plantas.

12 – Entregue os pneus velhos aos serviços de limpeza urbana. Caso realmente precise mantê-los, guarde-os em local coberto.

13 – Manter o saco de lixo bem fechado e fora do alcance de animais até o recolhimento pelo serviço de limpeza urbana.

13 – Lavar semanalmente por dentro com escova e sabão os tanques utilizados para armazenar água.

Como se proteger?

1 – Espirais ou vaporizadores elétricos devem ser colocados ao amanhecer e/ou no final da tarde, antes do pôr-do-sol, horários em que os mosquitos mais picam.

2 – Os mosquiteiros são indicados, principalmente, nas casas com crianças, cobrindo as camas e outras áreas de repouso, tanto durante o dia quanto à noite.

3 – Os repelentes podem ser aplicados no corpo. Entretanto, precauções devem ser adotadas quando utilizados em crianças pequenas e idosos, em virtude da maior sensibilidade da pele.

4 – Uma outra maneira de se proteger é a utilização de telas. Usadas em portas e janelas, são eficazes contra a entrada de mosquitos nas casas.

5 – O uso do ar condicionado inibe o mosquito, pois baixa a temperatura e a umidade do ar, mas não o mata. O mosquito tem mais dificuldade para detectar onde está a possível vítima de sua picada. Estes aparelhos apenas espantam o mosquito que poderá voltar em outro momento quando eles estiverem desligados.

Faça sua parte, o Aedes aegypti não tira férias!


Vitamina D e zinco para fortalecer o sistema imunológico

Esse ano foi um ano muito desafiador devido ao coronavírus e, por isso mesmo, nunca foi tão importante reforçar a imunidade. Você diria que a sua anda lá em cima ou precisa de um estímulo? 

Quando falamos em sistema imunológico não podemos deixar de citar a vitamina D e o zinco. A principal fonte de vitamina D é obtida a partir da exposição ao sol, mas uma fonte alternativa é a dieta, responsável por 20% das das necessidades corporais: alimentos como peixes de água salgada, sardinha e salmão; carnes; leite; ovos; manteiga; castanhas e nozes; feijão; couve e espinafre são ótimas fontes. De maneira geral, o efeito da vitamina D no sistema imunológico se traduz em aumento da imunidade inata junto à adquirida. Confira uma lista de alimentos ricos em vitamina D:

  1. Peixes de água salgada – salmão assado: o filé de 120 g contém 194 UIs; já a sardinha – 125 g em conserva em óleo possui 476 UIs;
  1. Carnes: bife de fígado – 100 g possui cerca de 50 UIs – o bife de fígado é também uma importante fonte de ferro; outras carnes vermelhas: 1 bife de 100 g contém 12 UIs;
  1. Leite integral – 1 copo americano pequeno tem 78 UIs – é boa fonte de vitamina D para o organismo, além de cálcio, que ajuda a fortalecer os nossos músculos e ossos;
  1. Ovo: gema de ovo – 1 unidade média possui 112 UIs: é na gema do ovo que se concentra maior quantidade de nutriente;
  1. Manteiga – 1 colher de sopa possui 61 UIs;
  1. Castanhas e nozes: a quantidade recomendada diária é 30g;
  1. Feijão: o grupo de feijões também deve ser incluído no prato diariamente quando o assunto é vitamina D;
  1. Couve e espinafre: uma xícara dessas verduras cozidas tem apenas não vitamina D como também proteína vegetal, muito importante para os vegetarianos. 

O ideal é tomar sol de 15 a 20 minutos diariamente (pele branca), de 30 a 40 minutos (tom de pele intermediário), e até 1h para (pele negra). Lembrando que essa exposição deve ser sem o protetor solar, pois ele impede o organismo de produzir a vitamina D. 

Já o zinco reforça não apenas o sistema imunológico como também é importante para a musculatura e o sistema cardiovascular. Segundo estudos, a ingestão diária de zinco pode reduzir em mais de 30% as chances de gripe comum, por exemplo [1]. De um modo mais amplo, as pesquisas afirmam que a suplementação de zinco reduz o risco de infecções e promove resposta imune em indivíduos de idade mais avançada [2]. O zinco está presente em alimentos como a gema do ovo, castanhas, amendoim, leite integral e carne vermelha.

Se você se alimenta bem e pega um pouquinho de sol diariamente não é necessário se preocupar, mas é sempre bom medir os níveis da vitamina D e de outras vitaminas e minerais através do check-up anual. Nem sempre a deficiência apresenta sintomas e por isso mesmo é fundamental ficar de olho!

Para diagnosticar a deficiência de vitamina D é necessário realizar o exame 25-OH-D. Este exame constitui o melhor marcador, conseguindo avaliar a concentração de vitamina D no organismo de forma prática e rápida. 

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

[1] Zinc lozenges and the common cold: a meta-analysis comparing zinc acetate and zinc gluconate, and the role of zinc dosage | Hemilä H | JRSM Open | Maio de 2017

[2] The immune system and the impact of zinc during aging | Hajo Haase; Lothar Rink | Immun Ageing | Junho de 2009

Cuidados com a pele no verão

Todo mundo sabe que os raios solares são mais intensos durante essa época no ano, o que aumenta o risco de queimaduras, câncer de pele e outros problemas. Por isso é fundamental aproveitar essa estação com responsabilidade, mesmo que você esteja no quintal de casa. 

Intensificar o uso de filtro solar contra os raios UVA e contra os raios UVB é a principal medida de proteção a ser tomada. Além disso, é fundamental aplicar o protetor 30 minutos antes da exposição solar e reaplicá-lo a cada duas horas. Leve sempre em consideração o fato da transpiração excessiva ou contato com a água e, se for o caso, reaplique antes deste período. Não esqueça de proteger cicatrizes e ferimentos recentes ou antigos, pois há risco de desenvolvimento de tumores – ainda que seja uma situação rara.

As crianças devem iniciar o uso de filtro solar a partir dos 6 meses, sempre utilizando um protetor adequado, indicado pelo dermatologista e pediatra, para o tipo de pele mais sensível.

Hidratar a pele por dentro e por fora é outra medida de proteção muito importante. Por isso, não se esqueça de Ingerir bastante líquido e abusar da água natural, água de coco e sucos naturais, além de hidratar a pele com um bom creme hidratante diariamente. No banho a temperatura da água deve ser morna para evitar o ressecamento. 

A alimentação merece uma atenção especial, capriche na ingestão de alimentos crus e cozidos; frutas e legumes com alto teor de água e fibras e baixo de carboidratos. 

Além do câncer de pele, o sol e o calor elevam o risco de algumas doenças: micoses, brotoejas, manchas e sardas brancas, além da acne solar.  No caso das micoses, a melhor forma de prevenção é manter hábitos de higiene: secar-se bem após o banho, principalmente áreas de dobras da pele, como virilha, entre os dedos dos pés e axilas; evitar andar descalço em pisos úmidos, além de optar por calçados abertos e ventilados. Além disso, é importante usar o seu próprio material de manicure. 

Já quando falamos em brotoejas, usar roupas leves e soltas e evitar locais muito abafados que propiciam a sudorese excessiva estão dentre as medidas de prevenção. 

As manchas e sardas brancas aparecem por conta da exposição excessiva ao sol. Essas lesões são benignas, não evoluem para o câncer da pele, no entanto, é recomendado que você faça uma avaliação com o dermatologista para diferenciá-las de lesões suspeitas. Para evitar surpresas desagradáveis use sempre o protetor solar!

A acne solar é outro problema muito comum, que pode ser facilmente prevenida com a escolha do sabonete adequado para o seu tipo de pele, tônicos mais  adstringentes e filtros solares com base aquosa ou em gel, que diminuem a oleosidade.

Consulte sempre o seu dermatologista e não esqueça de se cuidar! 


Precisamos falar sobre o câncer de pele

Quando falamos em câncer, muita gente se assusta e acredita que é uma doença na qual dificilmente é possível a prevenção, já que existem os fatores genéticos. O câncer de pele corresponde a 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos.

O câncer de pele é provocado pelo crescimento anormal das células que compõem a pele. Essas células se dispõem formando camadas e, de acordo com as que forem afetadas, são definidos os diferentes tipos de câncer. Os mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. Mais raro e letal que os carcinomas, o melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele.

Como se prevenir?

Evitar a exposição excessiva ao sol é a maneira mais eficiente de prevenir o melanoma e outros tipos de tumores na pele, mas existem algumas medidas de proteção – orientadas pela Sociedade Brasileira de Dermatologia:

– Usar chapéus, camisetas, óculos escuros e protetores solares;

– Cobrir as áreas expostas com roupas apropriadas;

–  Evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16 horas;

– Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta;

– Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer. Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo.  Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre;

– Ficar atento a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas;

– Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses;

– Consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo.

Existe uma maneira correta de aplicar o filtro solar?

Muita gente aplica o filtro solar quando já está exposto ao sol, acontece com você? Pois é, mas ele deve ser aplicado ainda em casa, e reaplicado ao longo do dia a cada 2 horas, se houver muita transpiração ou exposição solar prolongada. É necessário aplicar uma boa quantidade do produto, equivalente a uma colher de chá rasa para o rosto e três colheres de sopa para o corpo, uniformemente, mesmo que esteja nublado.

Vale lembrar que familiares de pessoas diagnosticadas com a doença devem se submeter a exames preventivos regularmente, já que o risco aumenta quando há casos registrados em familiares de primeiro grau.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é assinatural-blog-GerardoTrindade.png

Excesso de acidez na saliva

A saliva é formada nas glândulas salivares, sendo um líquido constituído por 99% de água e 1% de proteínas e minerais. Quando ocorre uma alteração dessa concentração, aumentando a acidez, uma série de problemas podem aparecer.

Uma saliva saudável apresenta um PH entre 6,8 e 7,2, podendo variar no decorrer do dia devido aos alimentos que ingerimos. Além disso, também está relacionado a quantidade de água que bebemos. 

CAUSAS

Uma das causas para a diminuição do PH da saliva é o refluxo gastroesofágico. Além disso, ele pode ser afetado também pelo xerostomia, que é a boca seca pelo consumo de alguns medicamentos e disfunções das glândulas salivares. 

FUNÇÕES DA SALIVA

Uma das funções da saliva é prevenir as cáries, além de promover a limpeza mecânica dos dentes. Ela possui substâncias, como o flúor, que ajudam a evitar a desmineralização do esmalte.

SINAIS

Os sinais de excesso de acidez na saliva são: gosto ruim na boca, mau hálito, presença de aftas com frequência, alterações na estrutura dos dentes – o que leva à formação de cáries.

TRATAMENTO

Falando em tratamento, devemos sempre procurar aumentar a ingestão de água, fazer uma higienização bucal de qualidade, com uso de fio dental e escovação da maneira correta. Quanto a alimentação, o ideal é reduzir o consumo de alimentos muito ácidos – como refrigerantes e frutas cítricas. 

Além de procurar o dentista é interessante também pesquisar outras condições que possam estar levando a esse desequilíbrio. 

Diabetes: saiba como prevenir a doença

Ter um vida longa e saudável é o desejo de todos, não é verdade? Isso passa pela ausência de doenças e pela qualidade de vida. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), dezesseis milhões de brasileiros sofrem de diabetes. Ainda segundo esses dados, a taxa de incidência da doença aumentou 61,8% nos últimos dez anos. 

A diabetes é uma doença crônica – sem cura, mas com tratamento – que ocorre quando há um excesso de açúcar no sangue. E por que isso acontece? Porque as células do pâncreas não produzem insulina suficiente (diabetes tipo 1) ou porque o organismo não consegue utilizar esse hormônio adequadamente (diabetes tipo 2).

Embora a diabetes tenha uma forte componente genético, o estilo de vida também funciona como um gatilho para o seu desenvolvimento. Por isso, é fundamental que certas medidas sejam adotadas para prevenir a doença:

❤ Alimentação saudável

Esse é um dos maiores pilates na hora de prevenir a diabetes, mas é importante destacar que os cuidados com a dieta vão muito além de evitar os doces. É importante que haja o consumo diário de alimentos ricos em fibras, vitaminas e sais minerais; que as carnes consumidas sejam magras; que os alimentos ricos em carboidratos processados sejam evitados e que os cereais integrais estejam mais presentes no cardápio. Além disso, é recomendado fazer várias pequenas refeições ao longo do dia para evitar o jejum intermitente e comer devagar, mastigando bem todos os alimentos. 

❤  Exercícios regulares

Alguns casos de diabetes, segundo a Organização Mundial de Saúde, são causados pela falta de atividade física, pois o sedentarismo favorece fatores como obesidade, hipertensão e desequilíbrio no colesterol. Por isso procure fazer exercícios físicos todos os dias; você não precisa passar horas na academia. Pode caminhar ou correr ao ar livre, se preferir, diariamente. 

❤ Peso saudável

A diabetes acomete pessoas magras e acima do peso, mas no caso da diabetes tipo 2 o excesso de peso é o principal fator para o desenvolvimento da doença. O sobrepeso atua como um acúmulo de gordura em órgãos importantes e isso prejudica a função da  insulina, causando a elevação da glicemia.  

❤ Sono de qualidade

O sono é muito importante para que o organismo desempenhe bem suas funções. Ter uma noite com um sono de qualidade acaba tendo efeitos positivos na saúde. Quando isso não acontece os efeitos acabam sendo negativos. A privação de sono pode acabar influenciando na diminuição de tolerância à glicose e aumento da resistência à insulina, por exemplo. 

❤ Fique longe do álcool e cigarro

O álcool não acrescenta benefício algum ao corpo. Pelo contrário, só prejudica a saúde dos órgãos e favorece o acúmulo de peso. O cigarro, por sua vez,  aumenta o risco de diabetes tipo 2 de 30% a 40% por contribuir para o ganho de peso, eleva as taxas de cortisol e estimula a formação de radicais livres. Além disso, a nicotina afeta diretamente a secreção de insulina, prejudicando a atividade das células do pâncreas.

❤ Check-up anual

A diabetes é uma doença silenciosa, isso significa que ela pode não apresentar sintomas. É comum que as pessoas descubram que são diabéticas numa consulta de rotina, às vezes por outros motivos. O check-up tem papel fundamental nesse sentido,  porque pode identificar quando o nível de glicose no sangue já está elevado (pré-diabetes), mas ainda sem caracterizar a instalação da diabetes propriamente dita.

Conte com o Gerardo Trindade para cuidar da sua saúde!

Página 1 de 17